terça-feira, 27 de setembro de 2011

Lugar de Girafa é na África

A pedido do MGDA - Movimento Gaucho de Defesa Animal e em nome da ética, publicamos:

________________________________________________________________________


Em São Paulo, Sorocaba, estão querendo adquirir 3 girafas para o zoológico do município... Os motivos mais "fortes" alegados não passam de um réles "para que as crianças vejam uma girafa de perto".

Manter tres animais em recinto de 20m x 30x, longe dos demais da sua espécie, sem condições de correr, de escolher seus parceiros, de viver uma vida natural, recebendo uma alimentação "parecida" com a que coletaria na natureza, expostos ao movimento e estresse de um parque de visitação pública... e tudo isso apenas para que as crianças vejam uma girafa de perto é, no mínimo cruel.

Os "pró aquisição" estão se mobilizando, coletando assinaturas em escolas e no próprio zoológico... já passam de 5.000... enquanto isso a defesa animal não conseguiu mais do que 794 assinaturas em uma petição on line... já fomos melhores nisso.... Precisamos repassar para nossos contatos, e pedir que repassem também... Impedir a vinda de girafas é o primeiro passo para impedimros a importação de animais exóticos para viverem enjaulados em zoológicos do pais.

Contamos com a ajuda de todos


Endereço da petição


http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N14143


Vamos participar, e alavancar essa campanha. É a mesma luta que estamos travando aqui no RS... Agora já são dois estados nessa briga... precisamos do apoio de todos.

MGDA - Movimento Gaucho de Defesa Animal

http://www.lugardeanimal.com/

Celebrando a Primavera com beleza e harmonia

O Projeto Verde Rosa São Francisco, encerrando seu ciclo de 6 meses, tendo iniciado suas atividades no dia 26 de março de 2011, cumpre seu giro no dia 24 de setembro de 2011, recebendo a Primavera com alegria, harmonia e beleza.

Com guarda-chuvas em punho, pois a primavera chuvosa prometia, fizemos nossa trilha interpretativa, observando interessantes dados da arquitetura da cidade, travando diálogos de narrativas de memória e da história da cidade.

O encontro se deu no Relógio das Flores, no Largo da Ordem, e a caminhada se fez pelas Ruas Trajano Reis e Duque de Caxias, rumo ao norte, em direção ao Bom Retiro.

Visitamos as árvores plantadas no Clube Concórdia no mês de junho, que estão crescidas e saudáveis. Também reverenciamos os lindos Pinheiros Chineses imunes de cortes que vivem ali.

O caminho apresentou muitas surpresas e gerou muita comoção e alegria: uma cadelinha de três patas nos ensinando que a vida pode ser boa, mesmo que nos falte uma parte. Encontramos também uma grande família de galinhos e galinhas garnizés, que fizeram a alegria pela surpresa.

Alguns marcos interessantes da paisagem urbana: intervenções em grafite e estêncil, elementos da arquitetura de muitos tempos, bosques urbanos que poucos conhecem.



Pelo caminho, a vizinhança receptiva faz questão de apresentar sua casa: “Esta casa foi construída em 1926, mas esta porta, é de 1927. É de embuia e ferro. Serviu como entrada para um estábulo, onde se guardava uma carroça...aqui, já foi cenário de filme: “A Sociedade” e estas plantas que estão nas paredes, são raras e vieram de muito longe...” e assim vai.

Todos ouvem com carinho e perguntam com curiosidade.

Em sua casa, nos espera Gisa. Fomos surpreendidos pelos velhíssimos Pinheiros e magestoso Cedro: centenários !

Ali cantamos, dançamos, plantamos e ouvimos a deliciosa narrativa do Mito de Eleusis, quando pudemos entender, na compreensão da Mitologia Grega, o vai e vem das estações do ano e o despontar da Primavera.

Obrigada a todos que participaram, em meio à companhia das árvores, dos pássaros e de todos os seres viventes.

Karin Birkholz, da Pense Bicho, aponta para a necessidade de respeitarmos todos os seres.

Obrigada a todos que fizeram possível convivência: Gisele Sarmento, Ana Paula Jacomel, Cibele Santos.

Contamos com a direção musical da Anete, com a ajuda da Educadora Ambiental Isabel, com o registro fotográfico do Oscar, com o violino da Julia, com a visita do José e Dragana da Rede de Desenvolvimento Local – SESI, com a nossa estagiária Prisciane, com os amigos e amigas do Projeto e de moradores do Bairro São Francisco.

Esperamos com esta experiência ter contribuído para o crescimento de todos e forma a nos tornarmos melhores e podermos, preservar o meio ambiente em que vivemos e interferir com nossas ações como cidadãos.

Este blog continuará a publicar dados de suas pesquisas sobre o Bairro São Francisco.

Pombos domésticos em Curitiba: construindo um saber ambiental

------------


O Gabinete do Vereador Professor Galdino nos solicitou parecer  sobre o PL que previa a proibição e a alimentação de pombos doméstivos em vias públicas e previa penalidade à trangressão.
Promovemos largo arrazoado, recomendando que o PL fosse retirado, pelos motivos que contam abaixo.
Com base nas observações que fizemos e movidos pela busca da construção de um saber ambiental sobre o assunto, a assessoria do Verador reuniu-se com o Centro de Controle de Zoonozes de Curitiba para melhor poder decidir sobre uma boa solução para a questão.
Pautados em pressupostos da ciência, do trato com a coisa pública, da gestão da saúde, posiciona-se bem o CCZV de Curitiba, propondo parceria com o Vereador para o desenvolvimento de uma política de educação ambiental, uma vez que para isto, já há lei municipal que lhe dê respaldo específico.
Este mesmo gabinete, solicita ao Movimento SOSBICHO respaldo do ponto de vista da ética da vida para o desenvolvimento desta política.

Assim, com laço de fita, apontamos para um futuro de respeito à vida.
Abaixo publicamos o ofício enviado ao Vereador.



Prezado Vereador

A pedido de sua Assessoria, analisamos a Proposição 031.00024.2010, substitutivo geral do PL 005.00247.2009, que “Dispõe sobre a proibição de a alimentação de pombos domésticos em vias, praças, prédios e locais de acesso público na zona urbana do Município de Curitiba estabelece penalidades e dá providências” e chegamos à seguinte conclusão:

1- O referido Projeto de Lei peca no que diz respeito à ética em relação à vida, pois propõe o direito dos animais de se alimentar e, portanto de assegurar a sua sobrevivência.

2- Não se ignora o fato de que os referidos animais são potencialmente transmissores de zoonoses e, portanto objetos de preocupação pelos gestores da saúde pública, embora os riscos considerados sejam baixos para a população. O que não se pode aceitar é que em nome da saúde pública os animais sejam penitenciados com a impossibilidade de sua sobrevivência. O que se precisa no Município é de políticas de manejo adequado e não de extermínio daqueles considerados indesejados no convívio com a cidade.

3- Não se ignora também que para uma boa convivência entre os seres no meio ambiente é necessário educação para o respeito a todas as formas de vida. Assim, sem que se faça um trabalho efetivo e permanente junto à população para que não se alimente os pombos respeitando a sua condição de espécie, não se pode propor preliminarmente a punição daqueles que nem possuem a consciência de que podem causar danos ao exercer a proteção dos animais alimentando-os.

4- Por fim, há que se lembrar ao Exmo Vereador, que já foi sancionada em 05 de novembro de 2007, Lei nº 12.483 que institui campanhas educativas de conscientização da população em relação aos pombos. Também deve ser do conhecimento do Vereador a existência de órgão municipal que trata dos problemas relacionados às zoonoses que já aponta políticas de manejo das populações de pombos como forma de minimizar o seu impacto no meio urbano ao mesmo tempo em que propõe a proteção da espécie.

Assim, recomendamos ao Exmo Vereador a reavaliação da importância do referido projeto e do seu papel fundamental na luta pelo cumprimento das leis já aprovadas.

Propomos a retirada do referido PL da pauta de discussões na Câmara de Vereadores.

Atenciosamente,

Tosca Zamboni

Bióloga – Presidente do Movimento SOS Bicho de Proteção Animal


CURITIBA PELA CAUSA ANIMAL

GENTE QUE AMA E RESPEITA OS ANIMAIS VAI COMEMORAR O DIA MUNDIAL DOS ANIMAIS NO DIA 08 DE OUTUBRO COM VÁRIOS EVENTOS PELA CIDADE





1. Dia Animal - no Parcão, das 10 às 17 horas. Benção dos animais, adoções, guarda responsável, vendas de produtos e muitas atrações. http://www.caopanheirocuritiba.com.br/

2. Ato Público pelos Animais - iniciativa do FDDA Curitiba. Concentração às 9:30horas, na Boca Maldita, próximo ao Bondinho. Distribuição de panfletos. Defesa de políticas públicas para os animais e combate à exploração e crueldade. Ongs: Amigo Animal, SPAC, SOSBICHO, Pense Bicho, Ecoforça e Viralatas e ativistas independentes

3. Evento Mundial pelo fim da cruealdade animal - WEEAC - 16 horas, Parque Barigui. Defesa dos direitos dos animais e pelo fim da crueldade.


Participe e mostre que você também respeita os animais !

Todos juntos somos mais fortes !


Pelo fim da crueldade contra os animais !

Cachorro morre em pet shop em Curitiba - Mia não late mais !

Publicamos a notícia porque temos que refletir sobre a instrumentalização dos animais, sobre a forma como são usados para ganhar dinheiro, sobre o despreparo do funcionário para a lida com seres sencientes, da "substituição" de um animal por outro como forma de suprir ou compensar o dano como se se tratasse de um objeto e não de um ser único, com uma vida única.
Os animais não devem servir para nada. No entanto, que a ocorrência sirva para que façamos a reflexão sobre a forma como nos colocamos no mundo e os valores que damos às nossas ações e s.obre nossa responsabilidade.
E mais, nos faz refletir sobre o alcance e aplicação de nossas leis que punem maus tratos animais e sobre a necessidade de estarmos atentos a novas leis, inclusive municipais, que devem estar prevendo sanções administrativas para estes casos.
Cremos também, que isto remete responsabilidades quanto ao exercício de atividades e profissões, sobe regulamentações e preparo de profissionais.

Mia não late mais. Nosso carinho e respeito.



26/09/2011 12h19 - Atualizado em 26/09/2011 15h18


Cachorro morre após ser agredido por funcionário de pet shop em Curitiba

Funcionário bateu com um instrumento de trabalho na cabeça do animal.

Estabelecimento lamentou o ocorrido, e deu outro cão para o proprietário.

Bibiana Dionísio e Fernando Castro

Do G1 PR



imprimir Uma cadela da raça yorkshire morreu dentro de um pet shop, em Curitiba, após ser agredida por um funcionário. De acordo com o laudo veterinário, a cadela, chamada Mia, teve parada respiratória, parada cardíaca, edema e sangramento na região do crânio. Os donos do animal registraram um Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.


saiba mais


Cachorro 'guardião' protege companheiro morto em Curitiba"Ele [o funcionário] disse que se sentiu ameaçado porque a cachorrinha iria tentar mordê-lo", contou o técnico em eletrônica Bruno Mazeiro, de 22 anos, que era o dono da cadela há seis anos. Segundo ele, Mia tinha menos de 30 centímetros e pesava 1,5 kg. O funcionário bateu na cabeça da cadela com uma rascadeira, instrumento utilizado para pentear pêlo de animais. "Acidentes acontecem, mas como foi de uma maneira cruel, a gente ficou chateado", lamentou.



O diretor-geral do pet shop, Luciano Mafra, afirmou que demitiu o funcionário logo após o ocorrido. “É um fato que não tem como deixar passar. É inadmissível”, disse ao G1. No entanto, o diretor não permitiu que Bruno visse as imagens do circuito de segurança do estabelecimento. "A gente quer saber a verdade, como aconteceu", afirmou Mazieiro. "Eles são responsáveis por quem contratam", acrescentou.


Mia morreu após ser agredida na cabeça por um funcionário de pet shop (Foto: Divulgação)Mafra afirmou que pretendia “não polemizar”. Ele disse que se trata de algo desagradável, e que o estabelecimento compreende o sofrimento do dono do animal. “Só tem que pedir desculpa mil vezes”, disse. Segundo o diretor, o funcionário trabalhava há mais de um ano no local.


Compensação

"Eles devolveram o corpinho dela em um envelope", contou Bruno. Na tentativa de compensar o cliente pela perda, o pet shop deu outro cachorro da mesma raça para Bruno e a noiva, além do enxoval, as vacinas e alimentação. Para receber o animal, Bruno precisou assinar um contrato de adoção e um termo que dizia que, a partir daquele momento, o pet shop não tinha mais pendências. Bruno afirmou que a direção do pet shop não negou nada a ele.



“Até onde entendemos, fizemos o que podíamos na tentativa de sanar problema”, afirmou Mafra.



Investigação

De acordo com a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, o funcionário deve responder criminalmente por maus-tratos, já que há testemunhas do fato. “Quando você deixa um animal no pet shop, supõe que vão cuidar bem”, disse o policial que conversou com a reportagem. Mais detalhes sobre as investigações não foram revelados, mas o pet shop poderá responder em uma possível ação cível. O ex-funcionário do pet shop não foi localizado pelo G1 para comentar o ocorrido.



A sugestão de reportagem foi encaminhada através do VC no G1.

Exemplos a seguir : Wangari Maathai

Ícone mundial como defensora dos princípios da sustentabilidade,  Wangari Maathai faleceu neste domingo, dia 25 de setembro de 2011.

Foto: Falar e Pensar Angola

"Você não pode proteger o meio ambiente, a menos que capacite as pessoas, as informe e ajude a entender que esses recursos são próprios e devem protegê-los". Essa frase de Wangari Maathai, criadora do Green Belt Movement (Movimento Cinturão Verde), traduzida em ações, nos incentiva a melhorar, pelas mais diferentes razões. Pode-se dizer, sem dúvidas, que ela é um ícone da comunidade africana, ou melhor, mundial, ao se dedicar à implementação dos princípios da sustentabilidade.



Essa mulher queniana formou-se em Biologia e fez Mestrado, por meio de bolsa de Estudos, nos EUA e foi a primeira mulher a conquista o PhD em Anatomia, na África central e oriental, na Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Nairobi. Nessa trajetória de emancipação, se tornou pioneira também ao presidir um departamento da Universidade e a ser nomeada professora. Uma conquista muito importante, na questão de gênero e de direitos humanos, mas transpôs a sala de aula e se dedicou à realidade do campo, da população vulnerável.



Na sua extensa biografia como ativista, comandou a Cruz Vermelha queniana nos anos 70 e foi ministra-assistente do Meio Ambiente entre 2003 e 2005. A sua agenda tinha como diretrizes o reflorestamento, proteção das florestas, e a restauração de áreas degradadas; como também projetos educacionais, com bolsas de estudo para órfãos devido ao HIV / AIDS; e acesso à nutrição aos portadores.



Uma de suas iniciativas de maior relevância foi o trabalho desenvolvido, por meio de sua organização, a partir de 1977, que resultou no plantio e replantio de cerca de 47 milhões de árvores no país, com a participação das comunidades, constituindo o sentido do empoderamento. A iniciativa nasceu, ao se defrontar com a realidade principalmente de mulheres do campo, que enfrentavam todos os tipos de dificuldades. Wangari propôs que as soluções viessem por meio de planos de manejos. Ao mesmo tempo, os camponeses deveriam proteger as bacias hidrográficas e estabilizar o solo, melhorando a agricultura.



A ideia que semeou nos anos 70 superou as fronteiras, e em 1987, já tinha seguido pela Pan African Green Belt Network , para a Tanzânia, Uganda, Etiópia, Zimbabwe e Lesoto. As bandeiras foram ampliadas e ela se uniu a outros movimentos contra regimes ditatoriais, que acentuavam a pobreza em seu país. Uma das campanhas que iniciou, foi contra a construção de um arranha-céu em Uhuru ("Freedom") Park no centro de Nairobi, e o desmatamento de terras públicas. Durante essa militância, foi presa e espancada com outros ativistas.



Mais um trabalho relevante que não pode ser menosprezado, é que Wangari e seu movimento tiveram um papel importante na nova constituição do Quênia, ratificada pelo voto popular em 2010. O documento incluía o direito de todos os cidadãos a um ambiente limpo e saudável.



Ela colocava em prática o conceito de sustentabilidade em um contexto geopolítico e socioambiental de adversidades gritantes. Dedicou-se à proteção da selva da bacia do Congo na África central, segundo maior maciço florestal tropical do mundo...Contribuiu, em 2006, para o lançamento do Programa Um Bilhão de Árvores ao Redor do Mundo, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnuma), que já ultrapassou a casa de bilhões.



Contribuiu também ao deixar uma bibliografia importante, calcada em suas experiência:

The Green Belt Movement: Sharing the Approach and the Experience (2003);

Unbowed (2006), uma auto-biografia;

The Challenge for Africa (2008);

Replenishing the Earth: Spiritual Values for Healing Ourselves and the World (2010).



Em 2009, ela foi designada como mensageira da paz, pela Organização das Nações Unidas (ONU).



A ativista, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz 2004, morreu neste domingo, dia 25, aos 71 anos, devido a um câncer, em Nairóbi.



A sua partida nos entristece, mas a sua obra é tão sublime, que serve como um ’tapa com luva de pelica’ à nossa inércia diante de tantas práticas erradas na condução socioambiental e, na verdade, das relações humanas...



Ao fazer a leitura de matérias a respeito, multiplicadas por agências de notícias internacionais, e ao conhecer um pouco mais de sua biografia, percebo o quanto ainda nos intitulamos mais do que realmente somos na prática.



Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Reskk - www.twitter.com/SucenaSResk



Ver online : Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Dia Animal


Evento Parcão

Reunião FDDA Curitiba 27 de ssetembro

Reunião do FDDA Curitiba, dia 27 de setembro de 2011, terça-feira, 19:30 horas, na sede do Sindicato dos Jornalistas, Praça Carlos Gomes (ao lado da Caixa), Centro, Curitiba.
Assunto de pauta:
Preparativos para o dia 08 de outubro, dia de luta pelos direitos dos animais.
Discussão sobre todos os eventos do dia na cidade de Curitiba.
Ações coletivas.
Divulgação Coletiva.

Reunião aberta todos os interessados.

Coordenação do FDDA Curitiba
fddacuritiba@yahoo.com.br

Deputado Cheida apresenta PL estadual anti-eutanásico - Apoiado !

Estamos acompanhando a proposição do deputado Cheida, que tem um compromisso com o segmento da defesa aos animais do Paraná, assumido durante sua campanha.
O projeto de lei que trata da proibição do extermínio de animais, a não ser em situações em que se configure uma eutanásia, ou seja, propiciar ao animal uma morte quando suas condições de saúde não permitam que ele continuem sobrevivendo, devendo ser-lhe concedido o alívio do sofrimento e dor; e mais, que trata de políticas públicsa para o controle ético de populações através de esterilização e ainda do trato de animais em situação de risco e de educação ambiental para o respeito aos animais, foi discutido pelo segmento das ongs de defesa animal e ativistas.
Estamos conferindo se o projeto discutido e apresentado ao Deputado é este mesmo que está sendo apresentado.
Cremos que o diálogo está aberto e temos que nos posicionar e defender a melhor lei possível para o Estado do Paraná.
O deputado conta com o apoio do Movimento SOSBICHO.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------
Notícia

Deputado quer proibir eutanásia e propõe política estadual para animais de estimação no Paraná


setembro 22, 2011, 18:22

tags: defesa animalpor Paulo Galvez da Silva

.Começou a tramitar na Assembleia Legislativa um projeto do deputado Luiz Eduardo Cheida (PMDB) que estabelece regras de conduta para todos os centros de controle de zoonozes no Paraná. A proposta, chamada de Gestão de Populações de Cães e Gatos em Áreas Urbanas, é resultado de muita discussão entre o parlamentar a entidades de defesa animal e acaba com a eutanásia de cães e gatos pelo poder público. O projeto, que ainda precisa passar pelas comissões da Casa, prevê:



- Identificação e registro dos animais



- Procedimentos de esterilização



- Campanhas de adoção



- Procedimentos para recolhimento e transporte dos animais



- Educação em guarda responsável



- Controle de criadores



- Assinatura de termo de responsabilidade pelo comprador ou adotante



- Criação da figura do animal comunitário, com os mesmos direitos dos animais com donos



- Restrição da eutanásia a animais com problemas de saúde irreversíveis a partir de exames e laudos de veterinários



Delegacia e Promotoria



O deputado Cheida também conseguiu aprovar no plenário requerimento propondo ao Ministério Público a criação da Promotoria Especial de Defesa dos Animais. Também está em tramitação requerimento solicitando à Secretaria de Segurança a instalação de uma Delegacia de Defesa dos Animais.



OBS: Publicado também no Adote Amigos

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Verde Rosa e Escola Dona Carola comemoram o dia da árvore

Muito mais que um plantio de árvores, a comemoração do dia 21 de setembro com os alunos da 8a. série da Escola Estadual Dona Carola, situada no Bairro São Francisco, Curitiba, se revestiu de momentos de alegria e de reverência às nossas companheiras de planeta: as árvores.
Alguns minutos foram bem aproveitados, para que explicássemos a importância das árvores nas nossas vidas e a importância de respeitar as árvores, que têm o valor próprio de suas vidas.
Nossa programação incluia uma visita à Pitangueira - Eugenia Uniflora, que vive na Rua Emilio de Meneses, bem próxima à Escola Dona Carola, e que está listada entre as ávores imunes de corte, pelo Decreto  de Curitiba 1181/2009. Este Decreto lista 51 árvores.
Com muito interesse, todos ouviram atentamente as explicações sobre a importância de termos um Decreto que protege a vida  e a necessidade que temos de manter estas árvores centenárias.
Estas árvores que estão protegidas pelo Decreto, assim o são por razões diversas: seja pela sua localização, valor histórico-cultural, porte, raridade ou beleza.
Esta Pitangueira está protegida por valor histórico: sob seus galhos de mais de cem anos, Monsenhor Celso, um Padre que viveu de 1849 a 1829, tendo passado seus últimos 30 anos de vida em Curitiba, pregava para muitos fiéis, que viam nas palavras daquele vigário, ensinamentos de um sábio.
Muitas histórias se conta, entre elas, que este Padre nunca aceitou qualquer cargo importante que se lhe oferecia: queria estar sempre entre os pobres e humildes. Bonito, né ?
Bem, fora isto, a Pitangueira é maravilhosa, cercada de Clívias, orquídeas Olho de Boneca e de arbustos de Camarão, que os beija-fores adoram !
Neste dia em que lá estivemos a passarada estava em festa, pois árvore está  carregada de flores, emitindo um suave cheirinho de mel.
Em seguida, plantio: todos carregando ferramentas, regadores, adubo orgânico e as mudas.
Fora escolhidas para o plantio: uma Jaboticabeira, uma Esponja de Garrafa e...uma Pitangueira !
Todos queriam plantar um pouquinho: contamos com a energia dos meninos e a disposição das meninas, que não acharam nada mal colocar a mãozinha no cocô de cavalo, que era nosso adubo, preparado pela Karin, do Pense Bicho.
O local escolhido para plantio foi o Largo Dr. Ernani Pereira, que também fica ao lado da Escola.
Anete, do SOSBICHO, acompanhou tudo, fotografou e ainda deu suas orientações sobre plantio.
Tudo plantado, seguindo as orientações que repassamos, pois nós também aprendemos um dia, foi tudo fotografado e registrado para o futuro de todos.
Contribuimos assim para o Projeto ENO TREE Day, ao qual a Escola Dona Carola é filiada (http://www.enotreeday.net/), que tem como meta o plantio de 100 milhões de árvores até o ano de 2017, no mundo todo.
Obrigada Professor Wagner por nos dar esta oportunidade !

Ao final, ganhamos beijinhos de agradecimentos !
Grande dia !

Laelia Tonhozi
Educadora Ambiental
Coordenadora do Projeto Verde Rosa São Francisco

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Verde Rosa - programa legal Celebra a Primavera - 24 de setembro de 2011

Venha celebrar conosco a entrada da Primavera, neste sábado às 14 horas, encontro no Relógio das Flores, no Largo da Ordem.



Caminhada, novidades no pedaço,  muita história para contar.
Venha com vontade de trocar idéias, energia para plantar, corações e mentes abertos para os chamamentos da vida e ações pela cidade.
Como podemos ser éticos com relação à vida ?
Teremos canto, dança e narrativa de mitos da Primavera.
Esperamos você !





segunda-feira, 19 de setembro de 2011

FDDA Curitiba e organizações de defesa dos animais em Congresso e Bioética - Curitiba


Tosca Zamboni, do SOSBICHO

A convite dos organizadores do Primeiro Congresso Brasileiro de Bioética e Direitos dos Animais, realizado em Curitiba nos dias 15 a 17 de setembro, as organizações de defesa dos animais de Curitiba foram convidadas para apresentar-e no Painel Mídia, sociedades protetoras e defesa animal. Lá estavam: Sociedade Protetora dos Animais, pela sua representante Soraya Simon, Movimento SOSBICHO, representado pela Tosca Zamboni e FDDA Curitiba, com a presença de Laelia Tonhozi, membro e coordenando trabalhos pelo SOSBICHO. Tiveram a oportunidade de fazer um breve relato sobre as atividades das organizações e do coletivo das organizações.
 Apesar do escasso tempo dedicado a este tema, ao tardio da hora decorrente de atrasos contínuos, ao esvaziamento da platéia, já cansada de 12 horas e trabalho, um pouco do que se obteve como vitórias e também das mazelas do Paraná, pode ser relatado.
Soraya Simon da SPAC
O momento estaria dedicado à entrega das demandas do segmento de Curitiba à Secretária Municipal do Meio Ambiente, que havia sido convidada pelos promotores do evento. A autoridade convidada não compareceu, nem justificou sua ausência, o que foi considerado pelo segmento, como um ato de desrespeito e indiferença aos cidadãos ativistas e aos animais com os quais compartilham a Cidade, pelos quais dedicam suas vidas.
Esta ausência confirma e reitera a necessidade de continuarmos firmes em nossa luta pelo reconhecimento da causa da defesa dos animais e contra a postura antropocêntrica e autoritária do poder público municipal.
Com carinho, reconhecemos a partir do palco, na platéia, nossos tão queridos parceiros: Marcelo, da Amigo Animal, Karin, da Pense Bicho, Roberta, da Viralatas, Rosana, da Ecoforça. E e pessoal do SOSBICHO.
Como companheiros do interior do Paraná, lá estavam Andressa e seus companeiros, do Fauna de Ponta Grossa e Rosamaria, da Sociedade Protetora dos Animais de Guarapuava.
Tosca  e Daniele Tetü Rodrigues, Coordenadora do Congresso
Muitos ativistas das Ongs, fortalecendo nosso trabalho. Agradecemos ao companheiro Laerte Levai, pelas bonitas e éticas palavras de reconhecimento ao trabalho das organizações e dos ativistas independentes, que como bem disse ele, embora não tenham a obrigação de fazerem o que fazem, o fazem por compaixão, por dever moral !
Nosso recado:
Esperamos que em próximos eventos do gênero, mais importância seja dada aos trabalhos daqueles que fazem do seu cotidiano o trato e o respeito aos seus companheiros de planeta, os animais não humanos.
Laelia, Roberta da Vira-Latas e Maigue

De mais valia seria se a partir de um encontro deste gênero, que se propões a tratar da ética da vida, pudéssemos efetivamente ter aberto um diálogo entre aqueles que vivem no mundo das idéias e aqueles que vivem a vida real. Lembrando que aqueles que vivem a vida real também pensam, sentem, julgam, têm consciência, não querem ser instrumentalizados.


Reduzindo impactos: SOSBICHO e Pense Bicho fazem bonito em Congresso de Bioética


Nos dias 15 a 17 de setembro de 2011 realizou-se em Curitiba o Primeiro Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais.


O Movimento SOSBICHO e Pense Bicho, que desenvolvem o projeto de Educação Ambiental Verde Rosa São Francisco, decidiram fazer a compensação das emissões de carbono durante o evento, que reuniu mais de 300 pessoas, com o plantio de uma árvore para cada 10 participantes.
Obteve as árvores junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, as quais foram levadas até a sede da realização do Congresso, OAB - Paraná, em Curitiba.

Pasmem vocês: 30 minutos após o anúncio da doação de mudas para replantio, não havia sequer uma das 35 árvores, nem para remédio.
Conclusão: tivéssemos levado 350 árvores, todas teriam sido adotadas, imediatamente !

Cada adotante assinou o Termo e Compromisso no Livro Verde Rosa, que registra todas as ações do Projeto. E ainda recebeu instruções de plantio pelos especialistas de nossas organizações.
Agradecemos a todos os que entenderam o papel das organizações de educação ambiental e de defesa dos direitos dos animais de Curitiba !
Parabéns aos que compreenderam que é necessário sermos generosos uns com os outros! Vida longa para cada uma das vidas que foram adotadas por seres humanos responsáveis!
Mais um ponto para o Projeto Verde Rosa São Francisco, que vem cumprindo sua missão!


Eventos deste mês:
Plantio de árvores e aula de campo para visita a árvore imune de corte, na Escola Estadual Dona Carola, no Bairro São Francisco: dia 21, às 13:30 horas.
Encontro Verde Rosa, Celebração da Primavera: dia 24, às 14 horas, encontro no relógio das Flores, no Largo da ordem. Caminhada Interpretativa, Plantio, Dança e Canto, narrativas mitológicas.
Venha celebrar a primavera conosco !

domingo, 11 de setembro de 2011

I Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais - Programação e inscrições


            Como a realidade dos animais é muito diferente da que imaginamos, a educação ambiental é, sem dúvida, uma ferramenta muito importante para a conscientização de que os animais são seres sencientes, dotados de sentimentos e sensações, como medo, frio, sono e fome.
O discurso bioético induziu a formação de um novo discurso, que pode ser considerado como discurso Bioforense ou Biolegal. Isto porque o Direito não serve somente a tutelar o ser humano, mas sim a todas as formas de vida. Portanto, é notório que o Direito exerce fundamental papel no sistema e, se aliado à ética, importa em magnífica e estrondosa potência transformadora de atitudes humana. 
Neste diapasão, nos dias 15, 16 e 17 de setembro próximo, Curitiba será o palco de respeitáveis debates sobre questões morais e éticas referentes a importantes temas na área do Direito dos Animais. O I Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais acontecerá no auditório da OAB/PR e é organizado pelo Instituto Abolicionista Animal, cuja sede encontra-se em Salvador, Bahia.
Inscrições on line no site da OAB-PR clike no link abaixo
Inscrições on line
Valor R$ 35,00

OAB-Ordem dos Advogados do Brasil-Seção do Paraná
Rua Brasilino Moura, 253 - Ahú
Curitiba - PR, 80540-340
(0xx)41 3250-5700
Programação
15 a 17 de Setembro de 2011 (quinta a sábado)

Dia 15/09 – ABERTURA – SALÃO NOBRE DA SEDE DA OAB/R

18h
·       Credenciamento e entrega de material do congresso
18:30h
           ABERTURA OFICIAL DO CONGRESSO

·       Solenidade de Abertura do I Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais

·       Presidente do Instituto Abolicionista Animal – Tagore Trajano

·       Vice-presidente do Instituto Abolicionista Animal e Coordenadora Geral do I Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais – Danielle Tetü Rodrigues
·       Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Estado do Paraná – José Lúcio Glomb
·       Presidente da Comissão do Meio Ambiente da OAB/PR – Alessandro Panasolo
·       Coordenador do Programa de Pós-graduação em Direito da PUC/PR - José Gustavo Franco
·       Engenheiro Civil e ex Deputado Federal – Marcelo Almeida
·       Secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo SDC/MAPA – Erikson Camargo Chandoha

Verde Rosa São Francisco celebra a Primavera: 24 de setembro

Deusa Deméter

O Projeto Verde Rosa São Francisco quer reunir todos os que já participaram de seus encontros anteriores no dia 24 de setembro de 2011 (sábado).
E há um motivo especial para isto: neste mês de setembro fecha-se um ciclo do Projeto Verde Rosa, com a celebração da Primavera. Momento de conferir plantios, de observar flores, de congraçar-se com a natureza, reencontrar amigos.
Faremos um passeio com encontro à 14 horas no Relógio das Flores, que tem como destino a residência de moradores do bairro São Francisco, onde plantaremos, cantaremos, dançaremos e ouviremos relatos sobre a Deusa Deméter, mãe da Terra.
Nesta caminhada, observaremos a paisagem urbana, composta pelo patrimônio construído e pelos elementos da natureza. Quem quiser nos encontrar no caminho, passaremos às 15 horas pela Pracinha Redentor, mais conhecida como "do Skate" ou "do Gaúcho".
Nosso evento terá a participação de uma focalizadora de danças circulares sagradas, de uma psicanalista junguiana, de educadoras musicais, de educadoras ambientais e outros especialistas que doarão seu trabalho à Comunidade. Vamos receber com carinho esta generosidade!
Neste mês de setembro o Verde Rosa tem mais duas ações importantes: plantios com os alunos da Escola Estadual Dona Carola, com visita à Pitangueira imune de corte da Rua Emilio de Meneses, no dia 21; dos dias 15 a 17 estará fazendo a compensação da queima de CO2, com plantios de árvores, no Primeiro Congresso Brasileiro de Bioética e Direito dos Animais, para minimizar o impacto ambiental que um evento provoca.

Confira as ações do Verde Rosa no movimentososbicho.blogspot.com
Participe de mais esta atividade do Verde Rosa, reveja amigos e sinta-se comprometido com a sua cidade.
Encontro marcado:
Dia 24 de setembro, sábado, 14 horas, no Relógio das Flores, Largo da Ordem. Duração do encontro: 2 horas.
Esperamos você !

Laelia Tonhozi
Educadora Ambiental
Coordenadora do Projeto Verde Rosa São Francisco

Verde Rosa São Francisco contribui para um Congresso sociambientalmente correto


Um dos grandes problemas de nosso planeta nos dias atuais é a emissão excessiva de CO2 (gás carbônico), que contribui para o fenômeno de aquecimento global, e provoca mudanças climáticas. Estas mudanças climáticas colocam em risco a vida de todos os seres e do próprio planeta como um sistema em que tudo está interligado.
Quando promovemos um evento em que pessoas precisam se deslocar de um lugar para o outro; que precisam ficar em salas iluminadas; com ar condicionado, que consomem alimentos preparados para a ocasião (coquetéis, café, etc.); utiliza-se de copos, pratos, toalhas, papel higiênico, papéis, fotocópias; comunicam-se com aparelhos celulares e outros aparelhos eletrônicos e elétricos (computadores, áudios-visuais, entre outros); banheiros são higienizados com produtos que geram danos ambientais; necessitamos de água para banheiros e como bebida; estamos gerando um impacto ambiental que deve ser compensado, para que nossas ações sejam sustentáveis do ponto de vista ambiental.
No evento I Congresso Brasileiro de Bioética e Direitos dos Animais, os coordenadores escolheram pelo consumo mínimo em todos os aspectos possíveis, utilizando-se de forma racional de recursos optando, por exemplo, pela comunicação virtual, abrindo mão de milhares de folhetos, cartazes e panfletos, que ao final, significariam árvores cortadas.
Estas escolhas que se aparentam com uma “pobreza de recursos”, devem ser interpretadas, como escolhas éticas com relação à vida. Não temos o cálculo preciso do impacto ambiental que causamos. Qual seria o tamanho do tamanho da “pisada ecológica”, que se realiza em Curitiba, nos dia 15 a 17 de setembro de 2011 ?
Para termos precisamente estes cálculos, necessitaríamos saber:
• quantos vieram de fora de Curitiba e de onde (partida e chegada, quilometragem, tipo e transporte) e quantos aproveitaram o mesmo veículo (no caso de transporte individual);
• quantos moram em Curitiba, com que transporte vieram ao evento (ou se vieram à pé, de bicicleta);
• quanto se vai utilizar de energia elétrica durante o evento na sede da OAB – PR;
• quanto se utilizou de papel, copos e pratos descartáveis;
• quanto se consumiu de gás natural para a confecção e alimentos e bebidas.
Estes são parâmetros mínimos recomendados para se obter o tamanho de nosso impacto sobre o meio ambiente. Na falta deste diagnóstico preciso, o Movimento SOSBICHO e o Pense Bicho, organizações ambientalistas e de educação pelo respeito à vida, da Cidade de Curitiba, autoras e gestoras do Projeto Verde Rosa São Francisco, propõem-se a reduzir o impacto ambiental causado pelo evento, amenizando os efeitos da emissão de gases provocadores do efeito estufa e faz o seguinte cálculo: para cada 10 participantes do evento uma árvore será plantada, como ação do Projeto Verde Rosa.
O evento tem previsão para 300 participantes, de forma que o compromisso é com o plantio de 30 árvores. As mudas de árvores, que vêm sendo obtidas na SMMA – Curitiba, para plantio em jardins e quintais, estarão à disposição dos participantes que assumam Termo de Compromisso do Cuidado com a Vida, como Amigo do Projeto Verde Rosa São Francisco, no Livro Verde Rosa.

Bióloga Isabel Carrilho e a Agrônoma Yanê Carvalho, do SOSBICHO
fazendo a análise e eescolha de mudas no Horto Municipal e Curitiba


São árvores nativas e preferencialmente frutíferas, como parte da finalidade do Projeto de Educação Ambiental Verde Rosa São Francisco, que é fornecer abrigo e alimento às espécies de animais que vivem na Cidade, incluindo humanos.
Conheça o Projeto Verde Rosa São Francisco, buscando as notícias e postagem neste blog.
movimentososbicho.blogspot.com


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Você sabe o que é decrescimento?

A sociedade civil organizada tem que fazer valer a sua voz e intervir naquilo que possa interferir na preservação do meio ambiente, bem como redefinir conceitos de “desenvolvimento econômico”, “crescimento econômico”, e questões que atingem diretamente o nosso futuro.
Neste sentido, há uma excelente obra do filósofo francês Serge Latouche, chamado Pequeno Tratado do Decrescimento Sereno , Editora: Edições 70, onde o autor expõe seu projeto de uma sociedade do decrescimento e descreve como se deveria realizar essa transição nas sociedades consumistas, evitando, deste modo, uma catástrofe ecológica e humana, pois os recursos do planeta não são inesgotáveis.
Para Serge, o decrescimento é uma 'utopia concreta': não podemos continuar a perseguir infinitamente o crescimento, a economia e o progresso econômico, quando o nosso planeta se encontra em declínio – é preciso um modelo alternativo, uma filosofia e um modo de vida gradual e serenamente decrescente.  Vai aí uma boa dica de leitura !

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Um gato e um golfinho!!

Plano Nacional de Resíduos Sólidos - Audiências Públicas

Plano de resíduos sólidos receberá contribuições da sociedade
Nesta quinta-feira (1º/9) foi dado mais um passo para cumprir o que prevê o Decreto 7.404, de 2010, que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). A consulta pública à primeira versão do Plano Nacional de Resíduos Sólidos foi lançada pela ministra Izabella Teixeira, durante reunião do Conselho Nacional do Meio Ambiente.
O documento preliminar estará disponível no site do Ministério do Meio Ambiente (www.mma.gov.br) a partir de segunda-feira (05/09), pelo prazo mínimo de 60 dias, contados da data da sua divulgação. Serão realizadas audiências públicas nas cinco regiões brasileiras e em Brasília para debater as diretrizes e metas do Plano. A primeira será este mês em Mato Grosso do Sul, reunindo a região Centro-Oeste.
O objetivo é ampliar a participação da discussão sobre o Plano, mobilizando a sociedade e envolvendo setores específicos em todo o território nacional. O Plano apresenta conceitos e propostas que refletem a interface entre diversos setores da economia compatibilizando crescimento econômico com desenvolvimento sustentável. O diagnóstico foi elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e "cumpriu seu papel de oferecer elementos de avaliação, de construção e de monitoramento das políticas públicas brasileiras", enfatizou o presidente da instituição, Márcio Pochmann, que participou do evento no Conama.
            Para o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano (MMA), Nabil Bonduki, a determinação da lei ambiental de erradicar os lixões em todo o país até 2014 é um desafio. "Mas, olhando o diagnóstico realizado pelo Ipea, podemos ficar mais otimistas", destacou. Segundo ele, entre 2000 e 2008 o Brasil conseguiu melhorar de 38% para 58% o descarte adequado de resíduos sólidos em aterros sanitários. "Isso sem que houvesse uma Política Nacional de Resíduos Sólidos. Esperamos avançar um pouco mais com a nova lei ambiental", afirmou.
            Provocar não só uma mudança nos padrões de consumo, mas na maneira como as pessoas se relacionam com os resíduos sólidos, além de promover a inclusão social foram os pontos destacados pela ministra Izabella Teixeira. "Com esse investimento maciço em reciclagem promovemos ainda a inclusão social dos catadores, com a formação e a construção de cooperativas, qualificando profissionalmente essas pessoas. Eles são os verdadeiros agentes ambientais no dia-a-dia das grandes cidades brasileiras. São eles que recolhem o lixo junto com os serviços de limpeza urbana", destacou.
Participe das audiências públicas que vão discutir o Plano Nacional de Resíduos Sólidos.
Audiências públicas:
13 e 14 Setembro - Campo Grande/MS
04 e 05 Outubro - Curitiba/PR
10 e 11 Outubro - São Paulo/SP
13 e 14 Outubro - Recife/PE
18 e 19 Outubro - Belém/PA
30 de Novembro e 1 de Dezembro (etapa Nacional) Brasília/DF.
Aqui o link para inscrição. clike aqui

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Pró-Animal e Vanguarda Abolicionista encaram 82 mil pessoas na Expointer

Uma prova de resistência física. Sob calor de 30 graus, Sol forte e sensação térmica ampliada pelo asfalto, as ONGs Projeto Pró-Animal, de São Leopoldo, e Vanguarda Abolicionista, de Porto Alegre, estiveram realizando mais um protesto em frente à Expointer, em Esteio. Das 9h até o final da tarde de domingo, 4 de setembro, ativistas estiveram levando a mensagem da libertação animal a um público de 82 mil pessoas, segundo números oficiais.

A multidão era tamanha que, por mais de uma vez, a Polícia Rodoviária Federal gentilmente solicitou que os manifestantes trocassem o ponto de base da ação, para facilitar o fluxo de pessoas. A fila para entrada na 34ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários - uma das maiores do mundo, ia quase até a estação do metrô.

Pró-Animal levou um banner sobre abate feito exclusivamente para o evento, reproduzido em milhares de panfletos, enquanto a Vanguarda compareceu com suas faixas e banners coloridos de praxe, além de milhares de panfletos focados na chinchila - o RS é um grande exportador de pele desse animal para a China. Diversos criadores de chinchila estavam expondo na Expointer, e muitas pessoas se sensibilizaram ao ver um animal 'tão fofo' engaiolado à espera da esfola. A VAL focou na indústria de peles, na qual o RS é líder nacional

Alguns pecuaristas passavam e olhavam com desconfiança ou indignação para os cartazes dos ativistas - especialmente um com com os dizeres 'Sou gaúcho mas sou contra a exploração animal'. Na abordagem, a proposta dos animalistas foi de que então cedessem espaço em suas fazendas para aposentadoria de cavalos retirados da carroça pela ONG Chicote Nunca Mais, parceira dos manifestantes. Todos acolheram bem a idéia de dar uma oportunidade de descanso vitalício a eqüinos cegos, aleijados ou idosos, e prometeram entrar em contato posterior.

A despeito do antagonismo de idéias, um gaúcho tradicionalista interessou-se em adotar um cavalo e um cachorro para deixar em sua fazenda

Um adolescente aproximou-se dos ativistas para contar que era vegetariano, assim como o pai, criador de ovelhas que deixou de comer carne. "Ele não mata mais, e nem vende as ovelhas, para outros não matarem", contou o jovem, que pegou diversos impressos para mostrar à família. Ao final da tarde, exaustos e com todos os panfletos distribuídos, ambos os grupos encerram a ação, considerada plena de validade e êxito.

Sobre o asfalto ardente, carroças também estiveram circulando pela Expointer

Parabéns companheiros gaúchos: é desta coerência, força e energia que precisamos !esta coerência, força e energia que precisamos !
clicke aqui  para assistir um vídeo da ação.