terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Fibra: o mundo só é sustentável se somos todos sustentáveis !

VEJAM QUE INICIATIVA COMOVENTE E MERITÓRIA... Vocês já ouviram falar da Coepad?A Coepad é a primeira cooperativa no Brasil, e uma das únicas no mundo, formada por portadores de deficiência intelectual. Com papel reciclado, a Coepad produz agendas, cadernos, canudos de formatura, bolsas ecológicas, entre outras coisas. Sem nenhum tipo de patrocínio, ela depende da comercialização desses produtos para sobreviver.A sede é no Estreito, parte continental de Florianópolis, e o principal ponto de vendas é uma lojinha no Centro de Cultura e Eventos da UFSC.Os jornalistas Fernando Evangelista e Juliana Kroeger produziram um documentário sobre esta história, com lançamento previsto para março deste ano. O nome do documentário é Fibra.


 O trailer é este aqui:


http://vimeo.com/docdois/trailerfibra

http://vimeo.com/35545111

 
É bem curto, um minuto e pouco. Assistam e, por favor, se gostarem, divulguem. A divulgação de vocês é importante para que a Coepad seja mais conhecida e continue crescendo. Quem quiser saber mais sobre o documentário, pode acessar www.docdois.com.br

Curitiba: segunda sem carne nas escolas municipais - vegetarianismo educativo !

Merenda vegetarian​a pode ser uma opção dos pais em Curitiba

Assessoria de Imprensa Prof Galdino25 jan

Ao lado de representantes da SVB (Sociedade Vegetariana Brasileira), o vereador Professor Galdino (PSDB) reuniu-se, em novembro, com a diretora do departamento de logística da secretaria municipal da Educação, Maria Cristina Brandalize, e com a gerente de alimentação, Maria Rosi Marques Galvão. Na reunião foi discutida a viabilidade de implantação do projeto da “Segunda sem Carne”, na rede municipal de ensino. A proposta do grupo, defendida pelo vereador, é de que as escolas tenham um dia da semana com a merenda sem carne, para que as crianças tenham acesso a uma nova possibilidade de alimentação e conheçam o vegetarianismo de forma educativa e sem imposições.

A proposta, que ainda tramita junto à Secretaria, recebeu um novo capítulo nos últimos dias. De acordo com um ofício, encaminhado ao gabinete do vereador, a Prefeitura de Curitiba segue o Programa Nacional de Alimentação Escolar, regulamentado pela Lei 11.947/09. De acordo com esse programa, casos de estudantes que tenham necessidades especiais de alimentação, por motivos de saúde, como casos de diabéticos, ou por questões religiosas, ideológicas e filosóficas, como é o caso de vegetarianos e veganos, devem ser atendidos isoladamente. Segundo o ofício, a Prefeitura registrou, em 2011, apenas dois casos de crianças que tiveram a alimentação alterada por serem vegetarianas, porém o município atende a todos os casos, a partir de uma solicitação dos pais na própria escola.

“É importante que os pais, não apenas de crianças vegetarianas, mas de crianças que não comam este ou aquele alimento por crenças religiosas, ou por questões de saúde, saibam que são amparados pela Lei e que podem interferir na alimentação de seus filhos. Nossa proposta, de um dia sem carne na merenda, não é para impor definições alimentares, mas é para mostrar para a criança que ela pode ter uma comida gostosa e descobrir novos sabores mesmo sem a presença da carne no prato. É uma forma educativa de tirar a ideia de que só é possível se alimentar bem se houver carne”, explicou o vereador que ainda rebateu a crítica de que esse modelo seria uma forma de dieta restritiva. “Cheguei a ouvir algumas pessoas questionando se essa proposta seria uma forma de economizar na merenda ou restringir a dieta das crianças e digo que não é. Toda proposta de cardápio de merenda escolar em Curitiba precisa ser aprovada por pelo menos 85% dos estudantes. Ou seja, se as crianças não aceitarem a proposta ela não se efetiva”, completou.

Ainda de acordo com o ofício, a proposta da “Segunda sem carne” está sendo analisada pelo corpo técnico do município que estuda qual a viabilidade de implantação do projeto em Curitiba e qual o possível impacto que isso pode gerar nos estudantes, de forma que haja um acompanhamento psicopedagógico no desenvolvimento do projeto.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Calendários da Amigo Animal - compre e ajude

ASSOCIAÇÃO DO AMIGO ANIMAL - CURITIBA - PR - www.amigoanimal.org.br - amigoanimal@amigoanimal.org.br - facebook Amigo Animal Marcelo - twitter @ongamigoanimal


SUPER CALENDÁRIO AMIGO ANIMAL 2012

A RAÇÃO PARA NOSSOS 2000 CÃES ABRIGADOS ESTÁ SENDO ADQUIRIDA COM A VENDA DOS CALENDÁRIOS, AJUDEM-NOS A VENDER, AINDA TEMOS CERCA DE 500 UNIDADES DAS 2000 IMPRESSAS.

Lindo calendário de mesa em espiral, com fotos de animais abrigados pela Amigo Animal e datas dos bingos (peça foto por e-mail).

VENDAS PELA INTERNET E ENTREGA PELOS CORREIOS SEM CUSTO ADICIONAL PARA TODO BRASIL

APENAS R$ 13,00

Depositar em qualquer das c/c abaixo indicadas e enviar comprovante para o e-mail amigoanimal@amigoanimal.org.br, junto com nome e endereço com CEP, envio por remessa simples, prazo normal de entrega 02 a 05 dias úteis.

CNPJ 04.086.238/0001-32 ; HSBC AG. 0152 C/C 04351-31 ; BANCO DO BRASIL AG. 1518-0 C/C 14938-1 ; ITAÚ AG. 0255 C/C 33336-1 ; CEF AG. 1525 C/P 013-2774-9 ; BRADESCO AG. 2015 C/C 19534-0.

PONTOS-DE-VENDA EM CURITIBA: Pet-shop Rei dos Animais no Alto da XV 41-3262-5131, Clínica Veterinária Nugvet no Cabral 41-3014-8616, Clínica Veterinária Arca de Noé no Champagnat 41-3336-7043, Clínica Veterinária Derosso no Xaxim 41-3275-8180, sede administrativa da Amigo Animal no Campo Comprido 41-3027-2237.

 Agradecemos imensamente aos patrocinadores Pet-Shop Rei dos Animais e WinMarket Branding&Design, sem os quais não teria sido possível a realização do calendário.


Muito obrigado, Equipe de Voluntários da Amigo Animal - 41-9975-2711.

Litoral do Paraná: maus tratos aos animais é apenas um dos problemas


Lindo Pontal do Sul !
 Pontal do Sul, balneário do litoral do Paraná, pertencente ao Município de Pontal do Paraná, ainda mantém belezas que merecem ser conhecidas.
Também sofre grandes ameaças, pela falta de políticas de educação ambiental entre moradores e veranistas, sem contar que não conta com política clara sobre meio ambiente, haja visto que muitas agressões ao seu ambiente natural vêm ocorrendo, invasões de áreas públicas e de peservação permanente, cortes de árvores e nenhuma política que proteja os animais com ações preventivas.
Incêncio provocado na restinga de Pontal do Sul: ação orquestrada ?

Áreas invadidas dentro da reserva
Este cenário vai ficando cada vez mais feio, quando se acrescem as ameaças relativas aos empreendimentos que se planejam relacionados a construção de porto, abertura de estradas, Pré-Sal, entre outros, que aparentemente significam "desenvolvimento", mas desconsideram a fragilidade do ecossistema local, que não tem carga de suporte para o que se projeta, nem há garantias quanto ao futuro da preservação daquele nicho ambiental ainda sustentável.
Assim, embora o município de Pontal do Paraná conte com um aterro sanitário, por exemplo, a população e os veranistas, pela falta de informação, não separam seu lixo. Os veranistas não sabem que há coleta seletiva e destinação adequada (várias associaciações e cooperativas recebem o material reciclável) segundo o fiscal de meio ambiente Vinícios. E misturam todo o lixo que produzem em suas casas ou na praia.
Poucos sabem que se trata de área de preservação permanente
Observa-se também claramente, que os moradores e veranistas desconhecem o meio ambiente natural que ainda existe em Pontal, como carinhosamente chamamos aquele local: não sabem que existe muito próximamente a mata atlântica, que há áreas de preservação de menguezais e restinga, fundamentais ao equilíbrio da vida.

ANIMAIS E MEIO AMBIENTE em Pontal do Sul - PR


Todos estes ecossistemas listados mantém nichos de vida muito ricos, como é o caso da restinga, que reúne muitas espécies animais e vegetais, e que sofrem a ação predatória de humanos e não humanos, como é o caso de incêndios colocados dentro da restinga e dos cães que adentram na restinga e matam pássaros e roedores.
Este seria um caso sério, se não tivéssemos outro mais sério: a absoluta falta de políticas públicas preventivas para os animais: cães, gatos e cavalos.
Por todo lado se pode observar, deixando mais feia ainda a nossa tão bela paisagem original, cães famintos e doentes, gatos adoecidos e abandonados, cavalos matratados e aos montes, sem contar a novidade: cabras e cabritos amontoados e pequenos espaços, para serem vendidos para consumo humano.
Não havendo política de esterilização de animais, de educação em guarda responsável, e mais, com a falta de responsabilidade dos tutores, tanto dos animais nativos dali, como dos veranistas que trazem seus cães para veranear com a familia, muitos cruzamentos ocorrem, muitos animais se perdem, e temos um cenário muito grave para os gestores, que têm uma postura de total indiferença ao problema.
Cavalos: virou moda ? pensamos que sim, pois Pontal do Sul está cheio de cavalos, que ficam expostos ao sol, amarrados (ou soltos !!!! perto da rodovia), sem água. Segundo a médica veterinária Marina Salgado, que atua há seis anos em Pontal, há muito maltrato a animais ocorrendo por ali. Tanto os deliberados, quer dizer, maltrato consciente, quanto por ignorância. Segundo ela, os cavalos devem merecer a atenção dos gestores. Outro problema maior que aponta, é a falta de controle de cruzamentos e os animais que têm acesso à rua, que cruzam, são agredidos, filhotes são mortos.

Vererinária Marina e Luisa, sua filha

Proterora e atendente Eliane
 Dra. Marina tem trabalhado no controle populacional de animais e no encaminhamento para adoção. Auxilia protetores que a procuram. Mas não pode ocupar o papel do estado, que tem que desenvolver suas políticas.
Sua atendente Eliane Martins, aprendeu com a Doutora Marina: tem que castrar e opina que deveria haver um controle quanto à quantidade de animais que as pessoas podem tutelar: "O que adianta se encher de animais se não tem condições de cuidar ?", pergunta Eliane.
Segundo Marina, é necessário uma campanha séria para castração de gatos, pois a cada quinze cães que castra, vem apenas um gato.
Crimes de abandono são frequentes e o mais grave: quando se procura a Delegacia de Polícia, não são ouvidos. Não se dá importância ao crime e se trata a questão como se fosse "um luxo" enquadrar o sujeito que maltra no artigo 32 da Lei dos Crime Ambientais.
Assim, vivemos no litoral (Pontal é retrato dos outros balneários e municípios da região) o que já conhecemos por aqui: completo abandono quando se trata de políticas de defesa dos animais.
No entanto, lá também tem eleição para prefeito e vereador: vamos escolher candidatos que venham com propostas para a defesa dos animais. Vamos escolher candidatos com verdadeiras propostas de preservação de  meio ambiente, que dizer, da vida.
Pontal do Sul é lindo: mas com estes problemas, fica muito feio !

Manifestação na Paulista contra maus-tratos de animais reúne 5.000

Manifestação na Paulista contra maus-tratos de animais reúne 5.000



COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Cerca de 5.000 manifestantes se reuniram neste domingo na av. Paulista (região central de São Paulo) para pedir punições mais severas contra quem comete crimes contra animais. O número é da Polícia Militar.

O ato, chamado "Crueldade Nunca Mais!", terminou por volta das 13h.

Os manifestantes se encontraram por volta das 10h em frente ao Masp, de onde saíram até a rua da Consolação. Depois, retornaram pela Paulista até chegarem ao Masp novamente.

O evento ocorre também em diversos municípios do país, além de cidades como Miami e Nova York, nos EUA.



Alguns participantes levaram seus cachorros para a manifestação --entretanto, segundo Fernanda Barros, uma das organizadoras, esse não era o foco do evento.

"Queremos mostrar que existe um público grande pedindo punições mais severas contra quem maltratar os animais", disse.

fonte: http://www.uol.com.br/

domingo, 22 de janeiro de 2012

Manifestação em Curitiba Crueldade nunca mais: um sucesso !

A manifestação geral Crueldade Nunca Mais, reuniu em Curitiba mais de 1000 manifestantes, que fizeram seus protestos pelos mais diverosos tipo de de violências em que os animais humanos são vítima.
Havia os que defendem cães e gatos de atos cruéis e de abandono e que pediam punição por atos violentos e políticas públicas para os animais.
Havia os abolicionistas, defendendo o vegetarianismo na alimentação e a abolição de qualquer tipo de uso de animais.
Havia também aqueles que clamavam pelo reconhecimento da sensibilidade dos animais, com palavras de ordem: animais sentem frio, dor e medo.
Muitas organizações de Curitiba estavam rpsentes levandoseu recado: ali estavam representantes  da Associação do Amigo Anima, da Pense Bicho, da Viralatas Proteção e Controle Animal, da SPAC, da Sociedade Vegetariana Brasileira, da Focinhos, e nós do SOSBICHO, é claro ! Também pudemos identificar os movimentos organizados, como o Beco da Esperança, o Adote Bicho, o Onca. Além dos nossos companheiros ativistas independentes.
Foi este grande número de pessoas, irmanado pelo seu respeito aos animais, compadecidos pela exploração e pela dor, inconformados com a indiferença ou pelas penas brancas que recebem (quando recebem) os que cometem crimes contra animais, que fêz a diferença neste domingo de sol pelo centro de Curitiba.
Curitiba fêz bonito ! A cidade ficou muito mais viva com o calor desta gente tão honesta.
Aí vão as fotos que não nos deixam mentir.

Manifestante com o galo do SOSBICHO

Manifestantes no Largos da Ordem - Ruina de São Francisco
Companheira Maigue e sua criatividade
Laelia (SOSBICHO) e Roberta (Viralatas)
Ativistas com pirulitos do SOSBICHO
Vereador Professor Galdino
A cidade fica mais bonita quando o galo canta !!!!!!

Manifestação em Curitiba reúne cerca de 1000 pessoas

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1215536&tit=Ato-em-defesa-de-animais-reune-mil-pessoas-em-Curitiba


Cerca de 200 pessoas se reuniram na praça Tiradentes, em Curitiba, para protestar contra os maus-tratos a animais


Curitiba

Ato em defesa de animais reúne mil pessoas em Curitiba

Manifestantes se reuniram na Praça Tiradentes e caminharam até o Largo da Ordem pedindo punição efetiva para quem maltrata animais. Ato ocorre em outras 170 cidades



3922/01/2012
11:02
Fernanda Trisotto atualizado em 22/01/2012 às 15:06 Fale conoscoComunicar errosRSSImprimirEnviar por emailReceba notícias pelo celularReceba boletinsAumentar letraDiminuir letraA reivindicação por uma punição mais efetiva para quem comete atos de crueldade contra animais reuniu cerca de mil pessoas na manhã deste domingo (22), em Curitiba. Elas participam da manifestação “Crueldade Nunca Mais!”, que ocorre em outras 170 cidades brasileiras. No Paraná, 18 cidades vão participar da mobilização, incluindo Maringá, Paranavaí, Cascavel, Londrina, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa e Matinhos.



A concentração dos manifestantes ocorreu na Praça Tiradentes, desde as 9 horas. A mobilização seguiu em passeata até o Largo da Ordem, onde ficaram nas Ruínas de São Francisco. No local, eles decidiram ampliar a manifestação e caminhar até o Centro Cívico. O grupo passou por ruas do bairro São Francisco, como a Jaime Reis e Paula Gomes, até chegar à Praça 19 de Dezembro. A passeata terminou ao lado da prefeitura, nas proximidades da Praça Nossa Senhora de Salete, onde o grupo se dispersou.



Saiba mais

Polícia constatou 200 casos de maus tratos contra animais em 2011Mulher é detida sob acusação de matar animais em SPCão volta do pet shop com a pata quebradaEnfermeira que matou cachorro em Goiás é indiciadaLuta pelos animais reúne 18 cidades do PRConfira mais fotos da manifestação





Segundo a engenheira agrônoma Yanê Carvalho, que é ativista na causa da proteção aos animais e participa do Fórum de Defesa dos Direitos dos Animais de Curitiba, o objetivo principal do ato é promover a reflexão sobre a causa. “Essa manifestação é o início de um novo olhar entre a relação de homens e animais, para que os bichos sejam vistos com mais respeito”.



A engenheira, que também participa da organização do evento, conta que a ideia da manifestação começou com um grupo de defensores dos animais de São Paulo e rapidamente se expandiu, contando com a ajuda das redes sociais. “Estamos batendo um recorde de participação. É um milagre, nunca tivemos tanta adesão”, comemorou.



Entre as participantes está a médica veterinária Andréa Barros. Para ela, além do fim da impunidade, é importante que as pessoas se conscientizem desta causa. “A quantidade de pessoas que está aqui mostra que elas estão se sensibilizando”, afirma.



Superpopulação de animais



O publicitário Luiz Roberto Gutierrez Monteiro chama a atenção para o fato de que os maus-tratos contra animais não são apenas os que geram problemas físicos. “Isso começa com o abandono, que gera um problema muito sério, que é o aumento da população dos animais”.



Para evitar a superpopulação de animais e o consequente abandono, as amigas e defensoras dos animais Helena Lemos Coelho, Diva Marcengo e Marli da Silva Conforto sugerem uma medida simples: a castração.



Elas, que participam de organizações não governamentais e defendem a causa animal há cerca de 15 anos, também chamam a atenção para outro ponto: em Curitiba, não são apenas cachorros e gatos que sofrem com a violência, mas há um problema grave com os cavalos, que são forçados a trabalhar em condições extenuantes e dificilmente são socorridos adequadamente.



Ajuda



As pessoas que não participam de organizações também podem ajudar os animais com pequenos gestos. A designer Rosângela de Oliveira Ferreira costuma recolher cachorros abandonados e encaminhar para a adoção. Ela, que estava na manifestação acompanhada da família, diz que a crueldade precisa acabar. “A penalidade para quem maltrata os animais é muito baixa e, como eles não têm voz, viemos aqui para protestar”, conta.



Mesmo descrente em relação à criação de leis mais severas, a fotógrafa Luciana Parralego é ativa na questão da proteção aos animais. “Eu ando com ração e água no carro para dar para os bichinhos, porque não aguento vê-los sofrendo”, conta. Ela diz que costuma denunciar casos de agressão, mas reclama da pouca atenção dada pelas autoridades ao assunto.



Maus-tratos



A polícia constatou, no ano passado, 200 casos de maus tratos a animais em Curitiba e região metropolitana. Segundo informações da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), em 90% dos casos, as vítimas são cães. Os outros 10% se referem a outros animais, principalmente a cavalos usados por carroceiros.



Em todo o ano de 2011, a DPMA registrou 313 boletins de ocorrências, mas, segundo o superintendente da delegacia, Ivan José de Souza, um terço dos casos não foi constatado pelos investigadores. De cada dez ocorrências em que os maus tratos são comprovados, em nove a denúncia partiu de cidadãos comuns. Os outros 10% dos casos são apresentados à polícia pela Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba (Spac).



Serviço:



A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) fica à Av. Prefeito Erasto Gaertner, 1261, no bairro Bacacheri, em Curitiba. O telefone é (41) 3356-7047.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Associação do Amigo Animal: dia de banho !!!!

ASSOCIAÇÃO DO AMIGO ANIMAL - CURITIBA - PR


www.amigoanimal.org.br (site)

amigoanimal@amigoanimal.org.br (e-mail)

@ongamigoanimal (twitter)

Amigo Animal Marcelo (facebook)


Amigos de Curitiba e região, no outro sábado 28/01, se não chover no mesmo dia ou na noite anterior, e se não estiver frio, acontecerá o mutirão de voluntários para banho e medicação dos animais (vermífugos, antibióticos, antipulgas, etc.) e limpeza das instalações da chácara, além da oportunidade de conhecer o nosso abrigo com aproximadamente 2000 cães.


Os que desejam participar, favor confirmar presença pelo e-mail amigoanimal@amigoanimal.org.br, descrevendo quantas pessoas irão, se possuem veículo próprio ou necessitarão de carona, se podem oferecer carona, e se é a primeira vez que participam, para podermos lhes repassar todas as informações. Não aconselhamos a presença de crianças, pois os canis são coletivos, alguns com mais de 500 cães juntos, e fica difícil controlar seu deslocamento.
Julia Misga entre os cães da Amigo Animal


O mutirão sairá às 8:30h em comboio de nossa sede administrativa no bairro Campo Comprido - Curitiba, situada na Rua Padre Boleslau Lucas Bayer, 613, bem perto da Universidade Positivo, e seguiremos dali diretamente para a chácara em Campo Magro, em torno de 35km, estrada de chão, alguns buracos e bastante pó. O retorno está previsto para as 17h.

Os animais interagem muito positivamente com visitantes, pela alegria de receberem carinho individual que hoje não lhes pode ser ofertado devido à superpopulação dos canis. Assim, os voluntários deverão trajar roupa própria, do tipo jeans mais velho, avental, macacão ou roupa mais simples e resistente, cobrindo as pernas e braços, para evitar arranhões, e colaborar com doações de toalhas e panos velhos, shampoos, ração de qualquer qualidade, jornais, latinhas de ração para filhotes, materiais de limpeza (água sanitária, vassouras, rodos, desinfetante, etc.), ou ainda medicamentos (sarnicidas, antibióticos, antipulgas, vitaminas, remédio para ouvido, etc.), estes podendo ser adquiridos no pet-shop Rei dos Animais no Alto da XV 3262-5131.

Se quiserem, podem aproveitar e levar em nossa sede administrativa doações para nosso bazar de roupas, sapatos, livros, brinquedos, artigos de cozinha, cama, mesa e banho e demais objetos usados. A chácara também utiliza muito jornal, e latinhas de alumínio são vendidas para comprar ração.

Atenciosamente, Marcelo Misga - voluntário da Amigo Animal - 41-9975-2711

Cecilia, Mateus e Marcelo Misga, familia fundadora da Amigo Animal e responsável pelo abrigo

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Movimento SOSBICHO na Manifestação Nacional Crueldade Nunca Mais

Em consonância com a diretivas dos Fórum Nacional de Proteção e Defesa dos Animais, ao qual o Movimento SOSBICHO é filiado e fazendo coro a um grande movimento nacional contra a  crueldade, por punições exemplares e aumento de penas pelos crimes cometidos contra os animais, a nossa organização decide se integrar efetivamente à campanha e participar da Manifestação Crueldade Nunca Mais do Dia 22 de janeiro de 2012.

Dia 22 de janeiro, às 9:45 horas na Praça Tiradentes, em direção ao Largo da Ordem, com camisetas brancas, ou com a logo do movimento (http://www.crueldadenuncamais.com.br/).

Iremos com as camisetas brancas de nossa ong, levaremos banners e distribuiremos panfletos pelo respeito aos animais.


Matinhos - litoral do Paraná, também terá sua manifestação Crueldade Nunca Mais


Em Matinhos - PR 10 horas, na Av. Atlântica

Se você mora em Matinhos ou está de férias pelo litoral, junte-se ao pessoal da Associação Arca de Noé de Proteção Animal - ANOÉ que estará reunido na Avenida Atlantica, neste domingo dia 22 de janeiro, ás 10 horas da manhã.
Estará cobrando políticas públicas, denunciando maus tratos e abandono de animais e coletando assinaturas em abaixo-assinado para PROIBIÇÃO DAS CARROÇAS EM MATINHOS, em  face aos maus tratos que este animais vêm recebendo naquele Município.

Segundo Eliane Aparecida Oliveira, da ANOÉ, não foi implantada sequer uma ação por parte do Município de Matinhos, como POLÍTICA PARA CONTROLE DA REPRODUÇÃO DE ANIMAIS - CASTRAÇÃO  - ficando nas mãos da sociedade, leia-se das ongs de proteção aos animais, tantos as ações de prevenção, quanto o resultado da inexistência das políticas adequadas.

Segundo Volga Mirian da Silva, também da ANOÉ, quando a população reclama de animais na praia, tem até razão: os animais não deveriam estar ali, tanto pela saúde dos ahumanos, quanto pela saúde dos animais, que podem vir a adquirir doenças transmitidas pelos humanos.
De forma que faltam também as políticas de educação em guarda responsável e de respeito aos animais.

Sem o binômio educação e castração, pouco se pode avançar em políticas públicas para os animais também no litoral do Paraná.

Anoé - Matinhos - litoral do Paraná - Educa para o respeito aos animais

Anoé promove bem-estar animal entre 2 mil alunos da Rede Municipal de Ensino de Matinhos, PR

No segundo semestre de 2011, a Associação Arca de Noé de Proteção aos Animais (Anoé), desenvoveu promoveu um importante trabalho de de educação em gurda responsável de animais, dando continuidade ao Programa de Educação em Bem-Estar Animal. Com o apoio da Secretaria de Educação, mais de 2 mil crianças da Rede Municipal de Ensino e da APAE participaram de uma programação repleta de atrações com objetivo principal de conscientizá-las sobre o respeito e os cuidados com os animais.

A Universidade Federal de Paraná (UFRP–Litoral) também apoiou o evento, cedendo gentilmente o espaço do seu Centro Cultural para encenação da peça “Pluminha procura amigos”, cujo elenco era formado por alunos do curso de Artes da universidade. Divididas em quatro grupos por dia, as crianças assistiram à história de um passarinho que vivia preso em uma gaiola, mas após um vento muito forte, consegue se soltar e assim conhecer Aninha, a qual vem a se tornar sua grande amiga.

Na ocasião, os estudantes também assistiram a uma mostra de vídeos sobre adoção e guarda responsável de animais de estimação.
 A Anoé Segundo Volga Miriam da Silva, diretora da Anoé, contou que a aproximação com a Secretaria de Educação e a consequente parceria ficou mais fácil após o curso de Educação em Bem-Estar Animal realizado pela WSPA no ano passado em Matinhos. “Desde o curso de Educação Humanitária, que envolveu boa parte dos coordenadores das escolas, muita coisa mudou. Além disso, a atual Secretária de Educação, Alda Mara Correa, abraçou a nossa causa e o projeto, tornando tudo mais fácil”, constatou Volga. Ela relatou também que, mesmo com tantas crianças, durante os dois dias a programação prosseguiu organizada e sem nenhum incidente.

Evento de educação para o respeito


Parabéns pessoal da Anoé por superar tantas dificuldades pela falta de políticas públicas preventivas para o abandono de animais e ainda avançarem com coragem e otimismo, sem nunca esquecer de cobrar do estado as suas obrigações !

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

VI Caminhada Observacional - dia 04 de fevereiro de 2012

OFICINA – “VI Caminhada Observacional”


com Mário Sérgio Freitas - fotógrafo amador, professor na UTFPR

e-mail: msergio58@yahoo.com.br

colaboração: Rafael Codognoto - bacharel em pintura

e-mail: rafaelcodognoto@hotmail.com

data: 04/02/2012


* concentração: das 14:00 às 14:30 (horário máximo de partida)


Praça 19 de Dezembro - “do Homem Nu”


* chegada: perto das 18:30 (Praça 19 de Dezembro)


em caso de tempo chuvoso, podemos adiar para 11/2 ou 03/3.

* * *

“Por que no piso os olhos tens cravados?

interrogou-me o guia, sempre atento...”

(Dante Alighieri)

Objetivos desta oficina: Exercitar o senso de observação em algumas das praças e ruas do Centro de Curitiba. Identificar os motivos nos mosaicos do calçamento. Reconhecer árvores notáveis na paisagem. Valorizar o patrimônio material da cidade. Interpretar intervenções urbanas. Coletar conteúdos destinados a eventuais produções artísticas.

Público alvo: Interessados em meio ambiente, em artes visuais, na memória da cidade, etc. (fotografia, arquitetura, paisagismo, história).

Pré-requisito: Disposição para caminhar 4h em ritmo lento. Desde que acompanhados por um responsável, menores de idade podem participar.

Material necessário: Prancheta portátil com papel para esboços e notas, ou câmera fotográfica, ou filmadora, ou gravador de áudio para voz, etc. Calçados confortáveis. Protetor solar, água potável e lanche individual.

Inscrições: Gratuitas. Não são emitidos certificados formais.

Resumo da atividade: Percurso a pé de um traçado espacial (ver “mapa da caminhada”) com diversos marcos de interesse (ver “pré-visualizações”).

Aspectos teóricos: A atividade propicia a recuperação de aspectos do campo visual que escapam ao olhar naturalizado: o que transparece na criatividade das fachadas, jardins, monumentos públicos e intervenções é a autoexpressão dos habitantes da cidade, assim como sua memória. Uma rota tortuosa a ser percorrida sem compromisso pelo pedestre propicia que este desenvolva leituras alternativas da paisagem do cotidiano. Os mosaicos das calçadas, localmente chamados “petit-pavé” (exs: indígena, paranista, art-déco, art-nouveau) refletem a estética de diferentes épocas. Antigas árvores podem ser objeto de observação: Que resposta se espera de um caminhante ao ter contato visual com um ser vivo que beneficia a população ocupando o mesmo espaço já há décadas, ou mesmo séculos?

Agradecimento: Ao colega Washington Takeuchi, pelas importantes contribuições e o admirável trabalho em seu site “Circulando por Curitiba”.

Referências bibliográficas:

ALIGHIERI, Dante. A Divina Comédia. Tr. C. Martins. 5 ed. v. 2 Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1989 (p.172).

CAMARGO, G.A. Os Segredos Maçônicos da Praça 19 De Dezembro, em Curitiba. Jornal LDP, disponível em:

http://www.jornalldp.com.br/index.php?pagina=atualidades_noticias&id=1508

CARDOSO, F. Árvores de Curitiba. Curitiba: Edição do autor, 2004.

FREITAS, M.S.T; CODOGNOTO, R. Caminhadas Observacionais – Oficinas I, II, III, IV, V. Curitiba, 2010-2011. Projetos disponíveis no endereço: http://www.pessoal.utfpr.edu.br/msergio/astro-Caminhadas.htm

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. Decreto no 1181 de 22/9/2009. Disponível em:

http://www.curitiba.pr.gov.br/multimidia/00086375.pdf

SILVA, R. (coord.); FRANÇA, C.E.; BORGES, J.N. Memória da Cidade – História e patrimônio urbano no Brasil – Curso ministrado na Caixa Cultural Curitiba, 2011.

SUTIL, M.S. O Espelho e a Miragem – Ecletismo, moradia e modernidade na Curitiba do início do século 20. Curitiba: Travessa dos Editores, 2009.

VASCONCELOS, L.T.M.. Calçadas de Curitiba – preservar é preciso. Curitiba: Ed. da Autora, 2006.

VIEIRA, A.; BRAGA, J.; LAAT, M.L.; coord. REIS, P. Laboratório de experimentação urbana - Oficina teórica-prática sobre arte e cidade. Curitiba: Departamento de Artes UFPR, 2010.

XAVIER, V.; LAZZAROTTO, P. Curitiba de Nós. Curitiba: Nutrimental, 1989.

Curitiba terá mais árvores imunes de corte: faça sua sugestão

Meio AmbienteFotos: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo






Araucária-australiana da Rua da Paz e pinheiro-do-paraná da Manoel Ribas estão na lista das árvores protegidas na capital


Proteção ambiental


Curitiba terá mais árvores livres de corte



Atualmente, 21 árvores estão na lista das protegidas pelo município. População pode participar da nova seleção
Publicado em 27/08/2008
Viviane Favretto Fale conoscoComunicar errosRSSImprimirEnviar por emailReceba notícias pelo celularReceba boletinsAumentar letraDiminuir letraVocê conhece alguma árvore que considera relevante pela sua espécie, tamanho, capacidade de produzir sementes ou mesmo pela importância para a comunidade em torno dela? Então chegou a oportunidade de indicar essa árvore para fazer parte da lista das imunes de corte em Curitiba. A atual listagem, que tem 21 árvores, vai ser ampliada e uma equipe da Secretaria Municipal do Meio Ambiente está selecionando novas integrantes para a relação.



Alfredo Vicente de Castro Trindade, coordenador-técnico de Fauna e Flora da Secretaria, lembra que Curitiba tem esta lista de árvores imunes de corte desde 1987. “No início entravam na relação apenas as exóticas comuns, mas agora estamos buscando outras espécies”, explica. Segundo ele, também há na cidade as árvores tombadas por serem consideradas patrimônio cultural. Nesse caso, o processo é irreversível, ou seja, elas não podem ser cortadas em hipótese alguma. “Temos uma canela branca na Praça da França que está comprometida, mas não é possível fazer nada. Já as imunes de corte são vistoriadas periodicamente e podem ser substituídas por outras se houver necessidade.”

Saiba mais

Veja onde estão localizadas as árvores imunes de corte em CuritibaSem limite


A equipe da Secretaria do Meio Ambiente que faz as vistorias é formada por seis profissionais das áreas de Agronomia, Biologia e Engenharia Florestal, diz Trindade. Eles já verificaram a situação das atuais 21 árvores que fazem parte da lista e farão essa semana a quarta vistoria das candidatas a entrar na relação. “Não há limite para inclusão e por isso a população ainda pode mandar suas sugestões”, avisa o coordenador.

Os profissionais da Secretaria avaliam a saúde da árvore. “Não adianta eu tornar imune de corte uma árvore que está comprometida e que em pouco tempo terá de ser cortada”, explica Trindade. Ele afirma que também é avaliado o local em que ela se encontra (se compromete a fiação aérea ou se está em algum lugar que possa obstruir a visão de um farol ou uma sinalização de trânsito, por exemplo) e a via (se não se trata de uma rua que pode ser ampliada, o que implica corte da árvore).

Crime ambiental

De acordo com Trindade, todo esse trabalho deve ser concluído em 60 dias e então o novo decreto será encaminhado para sanção do prefeito. Todas as árvores imunes de corte recebem uma placa com a identificação da espécie e o alerta de que ela não pode ser retirada. Trindade diz que a pessoa que corta uma dessas árvores identificadas é processada por crime ambiental e responde nas esferas administrativa, cível e penal. “Há muitos anos foi cortada uma araucária-australiana que estava na lista das imunes de corte e foi instaurado processo contra o responsável”, lembra Trindade.

* * * * *

Serviço


Sugestões de árvores que possam ser incluídas na lista das imunes de corte devem ser encaminhadas para a Secretaria Municipal do Meio Ambiente. O e-mail é smma@smma.curitiba.pr.gov.br.


http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=802100&tit=Curitiba-tera-mais-arvores-livres-de-corte
 
_______________________________________________________________________
 
Durante o ano de 2011 o Movimento SOSBICHO e Proteção Animal levou os participantes do Projeto Verde Rosa São Francisco para conhecer as árvores imunes de corte do bairro. Quando garantimos que certos espécimes não serão cortados, damos uma chance para a construção da memória ambiental e do relacionamento afetivo dos moradores de uma cidade. Cada árvore tem uma história para contar e cada cidadão tem sua história relacionada a estes entes.
Do ponto de vista da preservação das espécies animais e vegetais, é a garantia de vida longa às árvores e de ecossistemas  para seus moradores: aves, roedores, abelhas, insetos, etc.
A árvore nova não substitui uma árvore velha. Na natureza, esta relação não existe. Uma árvore nova levará um dezena de anos para constituir copadas que sirvam de abrigos a animais, para produzir frutos (dependendo da espécie) e para cumprir o importate papel de limpar o nosso ar.
As árvores são seres vivos e como tal, têm o direito de viver.
Pintangueira da Rua Emilio de Menezes - São Francisco, que recebeu a visita dos alunos da Escola Estdual Dona Carola, no Projeto Verde-Rosa São Francisco
Assim, vamos fazer propostas à Secretaria do Meio Ambiente para que mais árvores possam ser preservadas.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Mostra Animal chega para os pequeninos no Rio de Janeiro

Mostra Animal chega para os pequeninos



*Cidade maravilhosa sediará o lançamento da Mostra Animal – Mirim, subevento


da Mostra Internacional de Cinema pelos Animais *




A capital do Rio de Janeiro terá a honra de receber o lançamento da versão

Mirim da Mostra Internacional de Cinema pelos Animais, que consiste na

exibição de filmes em qualquer formato (curtas, médias ou longas, produzidos

em toda parte do mundo por amadores ou profissionais) que tenham como

temática a relação do ser humano com os outros animais e todos os seus

valores intrínsecos.

Os organizadores do evento defendem que o cinema é uma ferramenta artística

que modifica e transforma cidadãos, e direcionado ao público infantil, educa

de maneira lúdica e pedagógica, portanto, esta mostra possui um enorme

potencial transformador, contribuindo assim para a construção de mundo

melhor para as pessoas, os animais e o planeta.

A mostra mirim será realizada nos dias 01 a 04 de fevereiro de 2012, no

“Cineclube do Jardim”, do Jardim Botânico – RJ e contará com a exibição de

filmes: “Vegana: uma história de amor e respeito por todos os seres vivos”,

“A Traça Teca e o Sapo”, “Fulaninho: o cão que ninguém queria” e “Uma

história sobre ovos”. Além dos filmes, na mostra terá bate papos e oficinas

com brincadeiras, jogos cooperativos, contação de história, teatrinho de

fantoches e outras atividades para fazer pensar, divertir e animar a

criançada, que inclusive, poderá também tirar um foto divertida com fantasia

de bichos e ler livros da bibliotequinha. As oficinas serão ministradas pela

ULA – União Libertária Animal através do "Projeto Ulinha"

e o Diver For Sharks levará ao evento o "Projeto Sharkids"; ambos voltados

ao público infantil.

A Mostra Animal foi idealizada pelo Grupo Curitiba da Sociedade Vegetariana

Brasileira – SVB e teve expressivo sucesso em sua primeira edição, realizada

em 2009, seguida do sucesso redobrado em 2011, que serviu como incentivo à

expansão do evento tornando-o itinerante e agora em versão para crianças.

Segundo Ricardo Laurino, coordenador da SVB Curitiba, “Os animais são seres

que a cada dia que passa ganham maior visibilidade nas discussões éticas de

nossa sociedade. Trazer esse debate para as telas através de diversas

produções, além de atender a um público abrangente e em expansão, vem

colocar o cinema em consonância com a sociedade”.

A Mostra Animal – Mirim é um evento organizado pela SVB, através de seus

grupos locais: Rio de Janeiro e Curitiba, em parceria com o Instituto Nina

Rosa, Mundo Verde, Mostra Audiovisual Cambuquira, União Libertária Animal,

Diver For Sharks e apoio do Santuário das Fadas.

*

Serviço:*

*Mostra Animal – Mirim*

*LOCAL:* (Cineclube do Jardim - Jardim Botânico) R. Jardim Botânico, 1008 -

Jardim Botânico - Rio de Janeiro

*DATA:* 01 a 04 de fevereiro de 2012

*HORÁRIO: *14h às 17h

*SITE:* WWW.mostraanimal.com.br

*

ENTRADA FRANCA*



*Mais informações:*

Fernanda Mayrinck (Coordenadora Local do evento): (21) 8019-3750 ou

mostraanimal@svb.org.br

Lei que pune maus tratos a animais já em aplicação em Curitiba

Penalização de infratores



Lei que proíbe maus-tratos contra animais em Curitiba (PR) já rende frutos

16 de janeiro de 2012 às 11:10

Uma lei municipal, recém-criada e sancionada pelo prefeito Luciano Ducci, já está rendendo fruto no combate aos maus-tratos de animais em Curitiba. Um homem foi autuado e recebeu uma multa de R$ 1 mil porque matou um pombo a pauladas. Testemunhas denunciaram o fato e equipes de fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) conseguiram localizar o agressor.

A lei 13.908, de 19 de dezembro de 2011, proíbe a prática de maus-tratos contra animais na cidade. A nova legislação é considerada um avanço por entidades protetoras de animais porque impõe restrições para as pessoas que cometerem maus-tratos. As autuações podem ser acompanhadas por multas. E, nos casos de estabelecimentos envolvidos com animais (como aviários e petshops), o agressor pode ter até mesmo a suspensão ou cassação do alvará de funcionamento. “São diversas formas de penalizar, além da multa. Foi um grande avanço a aprovação desta lei específica. Temos um campo maior de ação”, explica Alfredo Vicente de Castro Trindade, diretor do departamento de pesquisa e conservação de fauna da SMMA. Os fiscais utilizavam apenas a Lei de Crimes Ambientais para autuar os infratores.

A especialista em educação ambiental Laelia Tonhozi, também coordenadora do Fórum de Defesa dos Direitos dos Animais de Curitiba e vice-presidente da ONG SOS Bicho, considera a lei municipal 13.908/2011 como um avanço. “A lei é boa, mas há alguns equívocos. Mas cria a multa de R$ 200 a R$ 200 mil e ainda aplica as sanções restritivas de direitos. As multas e as restrições doem no bolso”, avalia.

Uma série de discussões está ocorrendo no âmbito legislativo para conter os maus-tratos contra animais. Na Assembleia Legislativa do Paraná, de acordo com Laelia, vem sendo analisada a proibição do uso de animais em pesquisas e do abate de animais domésticos para fins de controle populacional. Ela ainda destaca as leis já aprovadas e sancionadas que proíbem o uso de animais em circos e rodeios. “Nós temos que estar acobertados. Cria um clima favorável para educar”, comenta Laelia.

A lei municipal que proíbe os maus-tratos em Curitiba cita que, na constatação dos fatos, os animais serão microchipados e cadastrados no Sistema de Identificação Animal. Os tutores vão receber as orientações sobre como conduzir com o animal e ficarão com as guardas dos mesmos. Em caso da falta de condições mínimas de manutenção sob os cuidados do infrator, o animal será recolhido, tratado e depois destinado para doação.

Fonte: Paraná Online
 
______________________________________________________________
 
Movimento SOSBICHO esclarece: quando Laelia Tonhozi, membro da ong diz que a lei tem equívocos, está se referindo na realidade a algumas omissões, que estariam relacionadas às sanções restritivas de direitos ao cidadão comum, que não constam da lei, que só as prevê em situações de comércio e serviços.
Com relação aos PLs estaduais, menciona que estão sendo discutidos na Assembleia Legislativa do Paraná projetos de leis, que por exemplo, tornariam mais dura a aplicação da Lei Arouca no Paraná, um PL que proíbe o controle de populações de animais através da morte, prevendo condições preventivas ao abandono e sofrimento dos animais.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Mais um motivo para não comer carne: carne processada dá cancer !

Não bastassem motivos de ordem ética para não comer animais; não bastassem os motivos para a proteção do Planeta, agora está provado: comer carne processada dá cancer. E não precisa ser em grande quantidades: uma salsicha por dia é o suficiente para correr o risco.
Veja lá !
Deu na mídia !

http://veja.abril.com.br/noticia/saude/carne-processada-aumenta-risco-de-cancer-no-pancreas-diz-estudo

Carne processada aumenta risco de câncer no pâncreas, diz estudo

Pesquisadores observaram que consumir diariamente uma quantidade equivalente a uma salsicha já é capaz de elevar em 19% as chances da doença



Carne processada: alimentos como salsicha e bacon estão relacionados ao aumento do risco de câncer de pâncreas (Getty Images)

Segundo um novo estudo publicado no British Journal of Cancer, o consumo de grande quantidade de carne processada pode aumentar o risco de câncer de pâncreas. A pesquisa foi desenvolvida pela Fundação Sueca do Câncer e pelo Instituto Karolinska, na Suécia, e concluiu que ingerir todos os dias uma quantidade do alimento equivalente a apenas uma salsicha já é suficiente para aumentar as chances da doença.

Os autores do estudo analisaram outras onze pesquisas que envolviam ao todo mais de 6.000 participantes. Eles concluíram que pessoas que comem 50 gramas de carne processada diariamente, quantidade que corresponde a duas fatias de bacon ou a uma salsicha, têm 19% mais chances de desenvolverem câncer de pâncreas do que quem não consome o alimento. O risco aumenta em 38% para aquelas que consomem 100 gramas de carne processada ao dia e 57% para as pessoas que ingerem 150 gramas do alimento.

Carne vermelha- Quando os pesquisadores foram analisar a relação entre o risco de câncer de pâncreas e o consumo de carne vermelha, os resultados foram inconclusivos. Isso por que a ingestão do alimento elevou as chances da doença entre os homens, mas não entre as mulheres. O estudo mostrou que homens que ingeriam 120 gramas de carne vermelha ao dia tinham 29% mais chances de desenvolverem o problema quando comparados com aqueles que não consumiam o alimento.

"O câncer de pâncreas dá pouca sobrevida (95% morrem no período de até cinco anos após o diagnóstico). Portanto, assim como diagnosticá-lo cedo, é importante entender o que pode aumentar o risco da doença”, afirma Susanna Larsson, autora do estudo. "Se a dieta afeta o risco de câncer de pâncreas, então isso poderia influenciar as abordagens de campanhas de saúde pública para ajudar a reduzir o número de casos da doença".

Para os pesquisadores, estudos maiores ainda são necessários para que se possa afirmar que a carne é, de fato, um fator de risco para o câncer de pâncreas. "Nós sabemos que estilo de vida e tabagismo estão muito ligados ao câncer de pâncreas. Parar de fumar é a melhor maneira de reduzir as chances da doença e de outros problemas de saúde também", diz a diretora de informação do Cancer Research UK, do Reino Unido, Sara Hiom.

Brasil – Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de pâncreas é responsável por 2% de todos os casos de câncer diagnosticados no Brasil e por 4% das mortes por câncer. É raro aparecer entre pessoas com menos de 30 anos e é mais comum entre os homens. De acordo com dados do Instituto, em 2009 foram registrados 9.320 novos casos da doença no país e, no ano de 2008, o câncer de pâncreas matou 6.715 pessoas. O Inca indica que não fumar, não exagerar nas bebidas alcoólicas e adotar uma dieta balanceada são medidas capazes de prevenir o câncer.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Guaratuba, litoral do Paraná, festeja natal com salvamento de cães ! Parabéns Polícia Militar do Paraná por mais esta ação de salvamento de nossos amigos animais !

Esta é mais uma notícia que nos estarrece: no entanto, conforme bem declarou o Polícial Militar envolvido na ação de salvamento: "...esta não é uma ação rotina da PM, mas que causa impacto para a população."
_______________________________________________________________

Notícia :

PM resgata cachorros que sofriam maus tratos em Guaratuba, em ações da “Operação Verão Paraná”


Por Marcia Santos

Jornalista PMPR

Policiais Militares integrantes da “Operação Verão Paraná”, atuantes em Guaratuba (PR), resgataram, neste sábado (24), cinco cães que sofriam maus tratos no centro da cidade litorânea. A ação ocorreu após uma denúncia feita por uma médica veterinária, a doutora Roberta Maria Malucelli Moro. Os animais foram encaminhados ao órgão responsável para que fossem tomadas as providências cabíveis.

Segundo informações fornecidas pela Polícia Militar, a médica entrou em contato com a PM pelo 190 informando que um cão havia sido resgatado pela população, e que acreditava-se que alguém havia ateado fogo no local com o intuito de matar o animal, já que o cão estava dentro de um buraco coberto de entulhos e mato, o que o impossibilitava de sair.

Segundo a tenente Caroline Costa, Porta Voz da “Operação Verão Paraná”, na Costa Leste, “a polícia ambiental recebeu um chamado e foi ao local verificar a ocorrência, numa tentativa de descobrir o responsável pela ação. Até aquele momento ninguém sabia que havia outros cães no buraco”. Após a chegada da ambiental, os policiais da unidade de área chegaram ao local para apoiar.

Costa contou que um dos policiais, cabo João Carlos, percebeu sons de cães e resolveu entrar no buraco para descobrir se havia outros animais lá dentro, onde acabou encontrando outros cinco cães. “Ele os ajudou a saírem ilesos do local; havia sinais de queimaduras pelos corpos dos animais”, conta.

Este tipo de atitude se enquadra no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, o qual prevê que “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos resulta em detenção de três meses a um ano, e multa”. Costa revelou que esta não é uma ação rotina da PM, mas que causa impacto para a população. “Ao final da ação, os policiais, principalmente o cabo João Carlos, foram parabenizados pela atitude”, lembrou.

Fotos: Aspirante Lucas Nicola

Fonte:
http://www.policiamilitar.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=4665






Tragédia na Região Serana do Rio de Janeiro se repete. Veja como ajudar.

A tragédia climática mais uma vez se reprete na Região Serrana do Rio de Janeiro, colocando mais uma vez animais e seres humanos na condição de vítimas.
Os animais que sobrevivem,  ficam seus seus responsáveis, perdidos, abandonados, famintos e doentes.
A ong de Estimação, que atuou na tragédia do ano que passou, recolhendo quase um milhar de animais, está novamente em em ação e precisa do seu apoio.

Como Ajudar



Você pode ajudar!


* Doando rações (cães e gatos), materiais de limpeza, remédios, cobertores, coleiras, potes, jornais, caixas de transporte, estrados de madeira ou gavetas.

* Divulgando o trabalho para que mais animais possam ser adotados;

* Adotando ou apadrinhando um ou mais animais;

* Oferecendo um lar temporário para animais que estão à espera de adoção;

* Sendo voluntário nas feirinhas de adoção;

* Ou depositando qualquer quantia em nossa conta corrente:

Banco Itaú


C/C nº: 19.918-5


Agência: 6103


Sociedade Grupo Estimação.


CNPJ: 089964300001-17


e-mail para contato: contatoestimacao@gmail.com
 www.estimação.org

A atuação da ONG Estimação foi registrada em um belíssimo filme chamado "O Abrigo", que ganhou o prêmio de melhor filme - Prêmio OSCOW, na Mostra de Cinema de Direito Animal, realizada em novembro em Curitiba, pela Sociedade Vegetariana Brasileira - Seção Curitiba.
O prêmio em homenagem à diretora e protagonistas foi mais do que justo.
Vamos dar aquela forma para estas pessoas que fazem de suas vidas algo mais do que a banalidade do cotidiano: salvam vidas e a dignidade de seres que ninguém dá valor, colocando suas vidas a serviço da causa vida e fazendo de suas pessoas seres da maior dignidade !

Confira o filme !

Tráfico de animais no Brasil: é o terceiro maior negócio ilegal do mundo ! veja notícia



10/01/2012 às 17:07:35 - Atualizado em 10/01/2012 às 17:10:02


Noções sobre o tráfico de animais no Brasil

Roberta Raphaelli Pioli

O tráfico de animais silvestres é o terceiro maior negócio ilegal do mundo, ficando atrás apenas do tráfico de drogas e armas. Segundo dados da ONG PEA (Projeto Esperança Animal), estima-se que ele movimenta mundialmente cerca de U$ 10 bilhões por ano. No Brasil, fala-se de algo em torno de 10 a 15% do comércio mundial, ou seja, o equivalente a U$ 1 a 1,5 bilhões por ano, e cerca de 100 mil animais silvestres apreendidos anualmente, o que representa apenas uma pequena parcela do que é traficado.


A conceituação de fauna silvestre é dada pelo artigo 1.º da Lei 5197/67: são animais de qualquer espécie que, por sua natureza e em qualquer fase de seu desenvolvimento, vivem fora do cativeiro. A estes são equiparados os seus ninhos, criadouros naturais e abrigos.

A Lei 9605/98, em seu art. 29, §3, nos traz que devem ser entendidos como espécimes da fauna silvestre todos aqueles que pertençam às espécies nativas, migratórias ou outras, sejam aquáticas ou terrestres, desde que tenham todo ou parte de seu ciclo de vida ocorrendo nos limites territoriais brasileiros, incluindo as águas.

A Constituição Federal foi bastante abrangente no tocante à proteção da fauna, não restringindo quanto às espécies e categorias de animais protegidos, enunciando ser dever do Poder Público sua proteção, vedando práticas que coloquem em risco sua função ecológica, que levem à extinção ou submetam os animais à crueldade, em conformidade com seu artigo 225, § 1.º, inc. VII.

No Brasil duas Leis e um Decreto constituem os principais instrumentos legais de combate ao tráfico de animais silvestres: Lei 5197/67, que dispõe sobre a proteção à fauna; Lei 9.605/98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente e Decreto 6.514 de 2008, que revogou o antigo Decreto 3.179/99 e dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente.

Não há, juridicamente, um crime nas normas ambientais penais tipificado como "traficar animais", pois na realidade trata-se de um conjunto de ações que, por si só, constituem o crime de tráfico. A previsão dos tipos penais ambientais para as condutas consideradas crimes contra a fauna está no artigo 29 da Lei 9.605/98, assim descritas: Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida: Pena - detenção se 6 (seis) meses a 1 (um) ano, e multa.

As condutas ligadas especificamente ao que chamamos usualmente de tráfico são trazidas pelo §1°, inciso III do artigo supracitado, que abrange vender, exportar, adquirir, guardar, ter em cativeiro, utilizar ou transportar ovos, larvas ou espécimes da fauna silvestre, assim como eventuais produtos e objetos dela provenientes.

Associam-se também às condutas do "tráfico de animais" os chamados maus-tratos, previstos no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, segundo o qual é crime punido com detenção de três meses a um ano e multa, a prática de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação de animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Os maus tratos relacionam-se ao tráfico pois os animais são transportados de forma velada, para não atrair a atenção de agentes fiscalizadores. Em decorrência disso o transporte é sempre feito de maneira inadequada, como, por exemplo, dentro de caixas de leite ou tubos com pequenos orifícios para garantir o mínimo de oxigênio.

Existem algumas circunstâncias que podem agravar a pena do crime em questão, como a reincidência nos crimes de natureza ambiental; o agente cometido o crime visando vantagem pecuniária (o que geralmente acontece), em unidades de conservação, em domingos e feriados, à noite ou atingindo espécies ameaçadas listadas em relatórios oficiais.

O decreto 6.514 de 22 de julho de 2008 prevê multa administrativa de até R$ 5.000,00 por animal para quem comete esse tipo de infração, valor este que, diante da magnitude e da gravidade do tráfico de animais, em muitos casos é praticamente insignificante. Entretanto, em razão das penas previstas para os crimes contra a fauna serem, via de regra, inferiores a dois anos de detenção, aqueles que forem flagrados cometendo tais crimes são submetidos aos procedimentos descritos na Lei 9.099/95 (Juizados Especiais Criminais), e geralmente os processos acabam terminando em transação penal ou, no máximo, com a aplicação de uma pena restritiva de direitos, com a mesma duração que teria a restritiva de liberdade, como a prestação de serviços à comunidade, a interdição temporária de direitos e o recolhimento domiciliar.

Diante da insuficiência da fiscalização em um país de dimensões continentais como o Brasil, a única solução para o crescente aumento do tráfico de animais parece ser a elaboração de mudanças efetivas no tocante à penalização do crime, tornando mais severas tanto o quantum da pena quanto do valor máximo da multa, como forma de coibir esse tipo de ação, além da realização de campanhas educativas para que cada cidadão possa se conscientizar e então colaborar para a redução da demanda por animais silvestres.

Fonte: http://www.parana-online.com.br/canal/direito-e-justica/news/585944/?noticia=NOCOES+SOBRE+O+TRAFICO+DE+ANIMAIS+NO+BRASIL

Manifestação Nacional Crueldade Nunca Mais : Curitiba




Abaixo-Assinado Academia ao Ar Livre no Bairro São Francisco - Curitiba

Caso você queira fazer parte desta ação de cidadania, imprima o abaixo-assinado que segue, capte assinaturas e nos comunique por email movimentososbicho@gmail.com

Academia ao ar livre
Jardinete Gal. Gastão Cordeiro - local sugerido para implantação da Academia ao Ar Livre







____________________________________________________________________________

ABAIXO-ASSINADO



POR ACADEMIA AO AR LIVRE NO BAIRRO SÃO FRANCISCO


Senhor Prefeito da Cidade de Curitiba, os moradores do Bairro do São Francisco e cidadãos do Município de Curitiba, com o apoio da Rede de Desenvolvimento Local, reivindicam a implantação de uma ACADEMIA AO AR LIVRE, aos moldes das demais academias que estão sendo instaladas nos demais pontos da cidade.

Sugerem como local para a instalação da primeira academia o Jardinete General Gastão P. Cordeiro (no prolongamento da Rua Inácio Lustosa), onde há espaço suficiente e adequado para sua instalação (80m 2 de vão livre e plano), ao lado de uma quadra de esportes que ali já existe (mapa e fotos do local em anexo).

Este pedido se justifica pelo fato de que o Bairro possui mais de 6.000 habitantes, Escola Estadual próxima ao local (Rua Solimões, esquina com Emilio de Menezes), muitos trabalhadores que ficam ociosos em seus horários de almoço e espera e poucas alternativas de esporte e lazer.

A sua implantação, além de benéfica para a saúde e física e mental da população, também poderia estimular a convivência entre vizinhos, de forma a propiciar um relacionamento cordial e solidário e estimular ações em cidadania.

Assinam a presente petição pela IMPLANTAÇÃO DE ACADEMIAS AO AR LIVRE NO BAIRRO SÃO FRANCISCO:

Nome endereço telefone/email

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

___________________________________________________________________________


O Movimento SOSBICHO desenvolve projeto de Educação Ambiental no Bairro São Francisco em Curitiba, chamado Verde-Rosa São Francisco. Assim, acolhe a demanda de moradores e freqüentadores do bairro e busca viabilizar a sua realização no âmbito público.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Sugerida construção de hospital público veterinário em Curitiba - Vereador Jair Cézar

NOTÍCIAS DO LEGISLATIVO


Data: 10/01/2012 - 18:11:39

Sugerida construção de hospital público veterinário

A cidade pode ganhar um hospital público veterinário. A proposta é do vereador Jair Cézar (PSDB), que está pedindo ao prefeito Luciano Ducci que seja inserida no plano de obras do município a construção de um estabelecimento deste tipo, para que as pessoas de baixa renda possam dispor de tratamentos aos seus animais de estimação.

“Animal não pode ter status social. Sendo todos iguais, precisam dos mesmos cuidados, o que não está ocorrendo hoje em Curitiba. Animal de pessoas menos favorecidas está vivendo sem cuidados médicos e muitas de suas doenças estão atingindo as crianças que convivem com eles, havendo, portanto, várias razões para nossa preocupação”, afirma Jair Cézar.

De acordo com o vereador, à primeira vista pode parecer absurdo, mas, se analisada com critérios, a proposta é justa e oportuna, uma vez que as crianças merecem cuidados e também os animais. “Temos certeza que, com a quantidade de cursos de medicina veterinária em Curitiba, não faltará mão de obra especializada para tratar de nossos animais, principalmente os que perambulam sem rumo e sem cuidados pelas ruas da nossa cidade”, conclui.

http://www.cmc.pr.gov.br/ass_det.php?not=18190

___________________________________________________________________________

O Movimento SOSBICHO apóia a proposta do Vereador Jair Cézar, visto que esta é uma demanda antiga do segmento de proteção e defesa dos animais e um dos compromissos do Governo Beto Richa, agora nas mãos de Luciano Ducci, que o sucedeu.
Precisamos de local especializado para políticsa de esterilização e animais, para dar atendimento a animais carentes e em situação de risco. Os Municípios têm o dever constitucional de proteger a fauna. E uma das formas de fazê-lo, é dando assistência de saúde e desenvolvendo ações de prevenção, como vacinação, controle de população, cadastramento dos animais, políticas educacional do respeito pelos animais.
A lei no. 13.908, de 19 de dezembro de 2011, que prevê as punições a quem comete abuso e maus tratos contra animais na Cidade de Curitiba, necessita deste suporte.
Não podemos punir que não tem meios de tratar. Temos que dar meios, como política social, para que o cidadão carente possa atender seus animais.
O Estado tem que dar instrumentos para que o cidadão para "responder", e é isto que temos que entender quando falamos em "posse" ou "guarda" responsável. Para que o cidadão possa responder pelos seus atos, ele tem que estar capacitado para fazê-lo. É papel do Estado prover a sua comunidade de meios de exercício de cidadania responsável.

Parabéns Vereador Jair Cézar por fazer esta proposta em tão boa hora !

Vereador Jair Cézar discursando no dia da votação da lei des maus tratos

Polícia constatou 200 casos de maus tratos contra animais em 2011


Polícia constatou 200 casos de maus tratos contra animais em 2011


Segundo a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, um terço das 313 denúncias apresentadas à delegacia não foram de fato constatadas. Cerca de 90% dos casos se referem a cães

10/01/2012
20:32
Felippe Anibal

A polícia constatou, no ano passado, 200 casos de maus tratos a animais em Curitiba e região metropolitana. Segundo informações da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), em 90% dos casos, as vítimas são cães. Os outros 10% se referem a outros animais, principalmente a cavalos usados por carroceiros.

Em todo o ano de 2011, a DPMA registrou 313 boletins de ocorrências, mas, segundo o superintendente da delegacia, Ivan José de Souza, um terço dos casos não foi constatado pelos investigadores. De cada dez ocorrências em que os maus tratos são comprovados, em nove a denúncia partiu de cidadãos comuns. Os outros 10% dos casos são apresentados à polícia pela Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba (Spac). “Quando os casos chegam pela sociedade, já vêm com toda a comprovação”, explica Souza.

Cães

Os casos envolvendo cachorros dizem respeito a diversos tipos de maus tratos. Desde agressões a acomodações inadequadas e abandonos. Na maioria das ocorrências, a denúncia parte de vizinhos. Após o registro, os investigadores da DPMA e vão ao local, apurar a situação.

No ano passado, ganhou repercussão a morte de uma cachorra da raça yorkshire, dentro de um pet shop localizado no bairro Água Verde, em Curitiba. A cadelinha havia sido deixada pela dona no estabelecimento, mas um funcionário a atingiu com um golpe de rasqueadeira. O animalzinho não resistiu e morreu. O caso foi investigado pela DPMA, que indiciou o funcionário, o dono e duas veterinárias do pet shop. O inquérito foi enviado ao Juizado Especial de Curitiba.

Outro caso ocorreu em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Um grupo de seis adolescentes amarrou uma bomba nas patas traseiras de um filhote de cachorro. O artefato explodiu, matando o animal. Com o cão já em óbito, os rapazes colocaram outra bomba na boca dele e o explodiram. Toda ação foi gravada pelos próprios adolescentes, com um celular. O crime teria ocorrido em janeiro de 2010.

“Esta ocorrência chegou por meio de uma denúncia anônima. Conseguimos localizar um dos envolvidos e, a partir dele, identificamos todo o grupo. Conseguimos também o vídeo que eles gravaram”, disse o investigador Dimitri Amaral Camaroski. Os adolescentes foram indiciados e o caso foi encaminhado à Vara da Infância e Juventude de Araucária.

Cavalos

Segundo o superintendente, todas as denúncias de maus tratos a cavalos dizem respeito a animais que são usados por carroceiros. As ocorrências apontam falta de alimentação e exploração dos animais. Souza diz que a análise dos casos merece cuidado, já que a totalidade das ocorrências é registrada em famílias de baixíssima renda, que usam os cavalos para trabalhar. “É preciso ter bom senso, porque os cavalos são fonte de dinheiro para essa família”, ressalva o policial.

Apesar do cuidado na apuração dos casos, Souza ressalta que em 2011 houve casos em que os animais chegaram a ser apreendidos. “É um último caso. Nós procuramos orientar os proprietários”, disse.

Registro

De acordo com o superintendente, as denúncias sobre maus tratos de animais devem ser apresentadas pessoalmente à DPMA ou por telefone. Em 2011, a delegacia chegou a receber denúncias por e-mail, mas este canal foi cancelado por conta do grande índice de informações falsas. Cerca de 90% das ocorrências apresentadas pela internet não eram constatadas, segundo a polícia.

“Boa parte dessas denúncias não confirmadas correspondem a vizinhos que se incomodam com latidos, por exemplo, e acabam acionando a polícia, como uma forma de vingança”, disse o superintendente. O policial ressalta que falsa comunicação de delito é crime e a pessoa pode responder por isso.

Serviço:

A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) fica à Av. Prefeito Erasto Gaertner, 1261, no bairro Bacacheri, em Curitiba. O telefone é o (41) 3356-7047.

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1211498&tit=Policia-constatou-200-casos-de-maus-tratos-contra-animais-em-2011